CHAMADA PARA TRABALHOS – LETRAS EM REVISTA V.11, n.01, 2021.

2020-09-14

CHAMADA PARA TRABALHOS – LETRAS EM REVISTA  V.12, n.01, 2021.

PRAZO PARA SUBMISSÃO: 15/12/2020

Dossiê: ESTUDOS SOBRE DESCRIÇÃO SOCIOLINGUÍSTICA DO PB E SUA APLICAÇÃO AO ENSINO

Organização:

Ailma do Nascimento Silva (UESPI)

Cláudia Regina Brescancini (PUCRS/CNPq)

Submissão: letrasemrevistauespi@gmail.com e https://ojs.uespi.br/index.php/ler

 As diversidades de produções fonéticas, fonológicas, construções morfossintáticas e lexicais são responsáveis por atestaremque toda língua comporta variedades geográficas, socioculturais e estilísticas que caracterizam a identidade social do falante e do seu interlocutor, bem como delineiam as condições sociais das suas respectivas produções discursivas no processo de interação verbal. As pesquisas mostram que a origem sociocultural e geográfica do falante não são gatilhos exclusivos para determinação da variação linguística, mas que ela é produto da interação de diversos fatores linguísticos e extralinguísticos. A descrição e análise das variedades do PB ainda é pauta bastante profícua dentro dos estudos linguísticos, sobretudo, pelos diversos aportes teórico-metodológicos utilizados para se compreender os mais diferentes usos linguísticose sua funcionalidade nos atos verbais e, mais ainda, pela imperativa imposição social da variedade-padrão concebida como modelo referencial de uso indistinto em todos os contextos sociais, excluindo-se daí as experiências linguísticas adquiridas, o saber cultural e a própria identidade linguística do falante. Esse embate se potencializa ainda mais quando se coloca frente a frente o dialeto social do falante e o ensino de Língua Portuguesa na escola. Diante do discurso prescritivo fundante do ensino tradicional ancorado na noção do correto e incorreto frente aos usos linguísticos, o propósito deste dossiê é reunir estudos inéditos sobre a relaçãoentre a descrição linguística das variedades brasileiras e o ensino de Língua Portuguesa em que se focalize não apenas o conflito instaurado, mas também propostas pedagógicas interventivas que redesenhem o trabalho prático com a linguagem em seu uso real.

SEÇÃO LIVRE: funciona em fluxo contínuo, estando aberta para submissão de trabalhos inéditos na área dos estudos linguísticos resultantes de pesquisa científica, originais de ensaios de caráter teórico fundamentados em revisão de literatura, e resenhas de livros.