A METAMORFOSE DE FLORA: MITO E HISTÓRIA EM NA PRAIA, DE IAN MECEWAN

  • Ana Claudia Aymoré Martins Universidade Federal de Alagoas

Resumo

O presente trabalho trata do romance Na praia (2007), do escritor britânico Ian McEwan, abordando, através de uma análise da personagem Florence, e em sua relação com o esposo Edward ao longo da narrativa (a qual transcorre, em sua maior parte, durante a noite de núpcias do casal, no ano de 1962), dois aspectos fundamentais: em primeiro lugar, a discussão acerca da longa permanência histórica no Ocidente de uma moral vitoriana, repressiva e baseada no controle do corpo e na normatização da sexualidade, a qual será combatida pelos movimentos feministas, libertários e da contracultura do final dos anos 1960, e, em seguida, as conexões entre a construção da personagem, o desenvolvimento do enredo e os possíveis significados arquetípicos dos mitos clássicos das vulneráveis, nos quais a posse, o controle e a violação masculinas do corpo feminino são confrontadas através da fuga, da ação mediadora ou, de forma ainda mais marcante, através da metamorfose.

Referências

BOGAERT, Anthony F. Understanding Asexuality. Lanham: Rowman & Littlefield, 2012. [Kindle
edition] BRANDÃO, Junito de Souza. Mitologia grega. Volume III. Petrópolis: Vozes, 1987.

CHEVALIER, JEAN E GHEERBRANT, Alan. Dicionário de símbolos. Mitos, sonhos, costumes, gestos, formas, figuras, cores, números. Trad. Vera da Costa e Silva et al. 19ª ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 2005.

DEIMLING, Barbara. Sandro Botticelli. Trad. Sandra Oliveira. Colônia: Taschen, 2005.

ECO, Umberto. Seis passeios pelos bosques da ficção. Trad. Hildegard Feist. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.

ELIADE, Mircea. Mito e realidade. Trad. Pola Civelli. 6ª ed. São Paulo: Perspectiva, 2016.

FEDERICI, Silvia. Calibã e a bruxa. Mulheres, corpo e acumulação primitiva. Trad. Coletivo Sycorax. São Paulo: Elefante, 2017.

GIRAUD, Yves. Dafne. In: BRUNEL, Pierre (org.). Dicionário de mitos literários. Trad. Carlos Sussekind, Jorge Laclette, Maria Thereza Rezende Costa e Vera Whately. 2ª ed. Brasília/Rio de Janeiro: EdUnB/José Olympio, 1998.

HOBSBAWM, Eric. Era dos extremos. O breve século XX 1914-1991. Trad. Marcos Santarrita. 2ª ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

McEWAN, Ian. Na praia. Trad. Bernardo Carvalho. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

PERROT, Michelle. Funções da família. In: ______. (org.). História da vida privada. Vol. 4: Da revolução Francesa à Primeira Guerra. Trad. Denise Bottmann e Bernardo Joffily. São Paulo: Companhia das Letras, 1991.

RICH, Adrienne. Quando da morte acordamos: a escrita como re-visão. Trad. Susana Bornéo Funck. In: BRANDÃO, Izabel et al. (org.). Traduções da cultura. Perspectivas críticas feministas (1970-2010). Maceió/Florianópolis: EdUfal/EdUFSC, 2017. pp. 64-84.

SOHN, Anne-Marie. O corpo sexuado. In: CORBIN, Alain; COURTINE, Jean-Jacques; VIGARELLO, Georges. História do corpo. 3. As mutações do olhar. O século XX. Trad. Ephraim Ferreira Alves. Petrópolis: Vozes, 2011.

VEYNE, Paul. Os gregos acreditavam em seus mitos? Ensaio sobre a imaginação constituinte. Trad. Mariana Echalar. São Paulo: Unes, 2014.
Publicado
2018-07-20
Como Citar
MARTINS, Ana Claudia Aymoré. A METAMORFOSE DE FLORA: MITO E HISTÓRIA EM NA PRAIA, DE IAN MECEWAN. LETRAS EM REVISTA, [S.l.], v. 8, n. 2, jul. 2018. ISSN 1980-7732. Disponível em: <https://ojs.uespi.br/index.php/ler/article/view/156>. Acesso em: 25 set. 2018.