ESPAÇOS, GÊNEROS E PRESTÍGIO NA VIDA LITERÁRIA

  • Daniel Castello Branco Ciarlini Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Resumo

Ao discutir as relações entre espaço, gênero e prestígio na vida literária, o artigo examina a maneira como os locais públicos e privados incidiram na escolha discursiva dos escritores, promovendo audiência no universo simbólico das letras. Enfatiza-se como polos dialéticos primordiais os cafés e os salões, situados na esfera pública, bem como outros espaços como sacadas de jornais e praças públicas; visa-se ainda o espaço privado, como as residências (ou salas), palco para a forma- ção das chamadas igrejinhas literárias, cujos encontros entre intelectuais foram construídos a partir de um perfl de cordialidade. Parte-se da abordagem de Pascale Nova (2002) e Robert Darnton (1989), acerca da formação do prestígio no universo literário, em aplicação aos textos de Lincoln Souza (1961), Brito Broca (1979) e Humberto de Campos (1954), comentadores e observadores da vida literária brasileira, especialmente na primeira metade do século XX.

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##

Daniel Castello Branco Ciarlini é mestre em Letras pela Universidade Estadual do Piauí e doutorando em Estudos de Literatura da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. É bolsista CAPES. Autor de A face oculta da literatura piauiense (2012) e Literatura, imprensa e vida literária em Parnaíba (2016). E-mail: danielcastellobranco@hotmail.com.

Referências

ANDRADE, Carlos Drummond de. A rotina e a quimera. In: ______. Passeios na ilha: divagações sobre a vida literária e outras matérias. Rio de Janeiro: Organização Simões, 1952. p. 111-15.
______. Apontamentos literários. In: ______. Passeios na ilha: divagações sobre a vida literária e
outras matérias. Rio de Janeiro: Organização Simões, 1952. p. 120-26.
______. Meditação no Alto da Boa Vista. In: ______. Passeios na ilha: divagações sobre a vida literária e outras matérias. Rio de Janeiro: Organização Simões, 1952. p. 132-35.
BADINTER, Elisabeth. As paixões intelectuais: desejo de glória (1735-1751). Tradução de Clóvis Marques. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007, v. 1.
BOURDIEU, Pierre. As regras da arte: gênese e estrutura do campo literário. Tradução de Maria Lúcia Machado. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.
BROCA, Brito. Escritores empenhados. In: _____. Românticos, pré-românticos, ultra-românticos: vida literária e romantismo brasileiro. São Paulo: Polis, 1979. p. 49-51.
______. O Poeta dos Salões e o Poeta da Praça Pública. In: _____. Românticos, pré-românticos, ultra-românticos: vida literária e romantismo brasileiro. São Paulo: Polis, 1979. p. 69-72.
______. As Mulheres na Literatura Brasileira. In: _____. Românticos, pré-românticos, ultra-românticos: vida literária e romantismo brasileiro. São Paulo: Polis, 1979. p. 76-9.
______. “Salões” e “Salas” do Romantismo. In: _____. Românticos, pré-românticos, ultra-românticos: vida literária e romantismo brasileiro. São Paulo: Polis, 1979. p. 80-2.
______. A Amizade Intelectual entre os Românticos. In: _____. Românticos, pré-românticos, ultra-românticos: vida literária e romantismo brasileiro. São Paulo: Polis, 1979. p. 81-7.
______. As “Capelinhas Literárias”. In: ______. Teatro das letras. Campinas: Editora da Unicamp,
1993. p. 11-5.
CAMPOS, Humberto de. Diário secreto. Rio de Janeiro: O Cruzeiro, 1954, vol. 1.
______. Memórias. São Paulo: W. M. Jackson, 1948.
CASANOVA, Pascale. Princípios de uma história mundial da literatura. In: ______. A república mundial das letras. Tradução de Marina Appenzeller. São Paulo: Estação Liberdade, 2002. p. 23-64.
DARNTON, Robert. Boemia literária e revolução: o submundo das letras no antigo regime. Tradução de Luís Carlos Borges. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.
ESCARPIT, Robert. Sociologia da literatura. Tradução de Anabela Monteiro e Carlos Alberto Nunes. São Paulo: Editora Arcádia, 1969.
LIMA, Luiz Costa. Persona e sujeito ficcional. In: ______. Pensando nos trópicos (dispersa demanda II). Rio de Janeiro: Rocco, 1991. p. 40-56.
MAINGUENEAU, Dominique. O contexto da obra literária. 2. ed. Tradução de Maria Appenzeller, São Paulo: Martins Fontes, 2001.
RAMOS, Graciliano. Uma personagem curiosa. In: ______. Linhas tortas. 22. ed. Rio de Janeiro: Record, 2015. p. 158-160.
ROCHA, João Cezar de Castro. Literatura e cordialidade: o público e o privado na cultura brasileira. Rio de Janeiro: EdUERJ, 1998.
SOLZHENITSYN, Aleksandr. O carvalho e o bezerro: esboços da vida literária. Tradução de Octavio Mendes Cajado. Rio de Janeiro: Difel, 1976.
SOUZA, Lincoln de. Vida literária. Rio de Janeiro: Irmãos Pongetti, 1961.
TYNIANOV, J. Da evolução literária. In: TOLEDO, Dionísio de Oliveira (org.). Teoria da literatura: formalistas russos. Tradução de Ana Mariza Ribeira Filipouski et al. Porto Alegre: Editora Globo, 1976, p. 105-118.
Publicado
2018-07-20
Como Citar
CIARLINI, Daniel Castello Branco. ESPAÇOS, GÊNEROS E PRESTÍGIO NA VIDA LITERÁRIA. LETRAS EM REVISTA, [S.l.], v. 8, n. 2, jul. 2018. ISSN 1980-7732. Disponível em: <https://ojs.uespi.br/index.php/ler/article/view/168>. Acesso em: 14 dez. 2018.