Marcas da escrita de autoria feminina entre os séculos XIX e XXI: uma análise comparativa

  • Livia Maria Rosa Soares UERN/IFMA
  • Vilmaria Chaves Nogueira UERN
  • Ismael Arruda Nazário da Silva UERN

Resumo

Este trabalho pretende analisar a representações de gênero na literatura em três séculos diferentes: século XIX, representado pelo conto “A Caolha” de Júlia Lopes de Almeida, século XX por meio do conto “Boa noite, Maria” de Lygia Fagundes Telles e o século XXI, através do conto “Aos sessenta e quatro” de Cíntia Moscovich. Investigaremos de que maneira as autoras redimensionam a representação feminina e propõem novas visões em relação aos estereótipos legitimados ao longo dos anos. Além disso, investigaremos como se (re)desenharam as mudanças discursivas na voz autoral da mulher antes, durante e após os movimentos sociais e culturais que marcaram a busca pela igualdade de direitos, as mudanças advindas com a industrialização, mudanças nas relações de consumo, de trabalho e as formas de exploração, dominação e resistência do mundo pós-moderno. Como fundamentação teórica serão apresentadas as contribuições de Zolin (2006), Duarte (2005), Lauretis (1994), Holanda (2003), Giddens (2002), Hall (2005) entre outros.

Referências

ALMEIDA, Júlia Lopes de. A Caolha. In: MORICONI, Ítalo (Org.). Os cem melhores contos brasileiros do século. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001. p. 49-54.
BUTLER, Judith. Fundamentos contingentes: o feminismo e a questão do “pós-modernismo”. Cadernos Pagu, Campinas, 1998.
GIDDENS, A. Modernidade e Identidade. Tradução P. Dentzien. Rio de Janeiro: Jorge Kahar, 2002.
HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Trad. Thomas Tadeu da Silva e Guacira Lopes Louro. 11. Ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2005.
LAURETIS, Tereza de. A tecnologia do gênero. In: HOLLANDA, H. B. (Org.). In: HOLLANDA, H. B. (Org.). Tendências e impasses: o feminismo como crítica da cultura. Rio de Janeiro: Rocco, 1994, p. 206-242.
LUKÁCS, Georg. Narrar ou descrever? contribuição para uma discussão sobre o naturalismo e o formalismo. In: Ensaios sobre literatura. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.
MOSCOVICH, Cíntia. Aos sessenta e quatro. In: Essa coisa brilhante que é a chuva. Rio de Janeiro: Record, 2012.
SALOMONI, Rosane Saint-Denis. A escritora/os críticos/a escritura: o lugar de Júlia Lopes de Almeida na ficção brasileira. Porto Alegre: UFRGS, 2005.
SCHMIDT, Rita Terezinha. A transgressão da margem e o destino de Celeste. In: SEMINÁRIO NACIONAL MULHER E LITERATURA, 1997, Niterói. Anais. Niterói: EDUFF, 1999. p. 672- 82.
SILVA. Cristiane V. A condição feminina nas obras de Júlia Lopes de Almeida publicadas entre 1889 a 1914. Dissertação (Mestrado em Letras) Universidade Estadual do Piaui, Teresina, 2014.
SOARES. Lívia Maria Rosa. Representações Femininas nos contos de fadas de Marina Colasanti. Dissertação (Mestrado em Letras) Universidade Estadual do Piaui, Teresina, 2014.
SHOWALTER, Elaine. In: EAGLETON, Mary ed. Feminist Literary Theory. New York:Basil Blackwell Ltd, 1986.
TELLES, Lygia Fagundes. Boa noite, Maria. In: ______. A noite escura e mais eu. Rio de Janeiro: Rocco, 2009, p. 55-78.
TELLES, Norma. Encantações: escritoras e imaginação literária no Brasil no século XIX, PUC-SP, 2004.
XAVIER, Elódia. Narrativa de autoria feminina brasileira: as marcas da trajetória. Rev. Mulher e Liter., Rio de Janeiro: 2012. Disponível em: http://www.openlink.com.br/nielm/ revista.htm. Acesso em: 20 jan. 2019.
ZOLIN, Lúcia Osana. Crítica feminista. In: BONNICI, Thomas; ZOLIN, Lúcia Osana (Org.). Teoria Literária: abordagens históricas e tendências contemporâneas. 3. ed. Maringá: EDUEM, 2009. p. 217-242.
ZOLIN, Lúcia. A literatura de autoria feminina brasileira no contexto da pós-modernidade. Revista Ipotesi, Juiz de Fora. Vol. 3. nº 2, 2009. Disponível em http://www.ufjf.br/revistaipotesi/files/2009/10/a-liatura-de-autoriafeminina.pdf.
Publicado
2020-04-27
Como Citar
SOARES, Livia Maria Rosa; NOGUEIRA, Vilmaria Chaves; DA SILVA, Ismael Arruda Nazário. Marcas da escrita de autoria feminina entre os séculos XIX e XXI: uma análise comparativa. LETRAS EM REVISTA, [S.l.], v. 10, n. 2, abr. 2020. ISSN 2318-1788. Disponível em: <https://ojs.uespi.br/index.php/ler/article/view/191>. Acesso em: 25 maio 2020.