O PROCESSAMENTO DE ANÁFORA PRONOMINAL NA LEITURA: MÉTODOS PSICOLINGUÍSTICOS

  • Mariana Terra Teixeira PUCRS

Resumo

A partir de uma visão experimental, buscamos pensar como se pode estudar
o processamento da linguagem. Diferentes experimentos, com distintas técnicas de
aferição psicolinguísticas, colaboram para o entendimento do processamento de
fenômenos linguísticos pelo nosso cérebro. Neste artigo, analisamos três estudos que
utilizaram métodos experimentais distintos para investigar um mesmo fenômeno
linguístico da leitura: o processamento anafórico pronominal. Os critérios utilizados
para a seleção desses estudos foi terem sido publicados em um periódico brasileiro
com Qualis A ou B, serem diferentes entre si, e serem os artigos mais recentes sobre o
processamento anafórico pronominal no que tange à pesquisa científica divulgada no
Brasil. Conclui-se que diferentes técnicas psicolinguísticas colaboram com
informações distintas sobre o processamento anafórico. Diferentes técnicas e
propostas teóricas contribuem, cada uma a sua maneira, na investigação de fenômenos
linguísticos da leitura.

Referências

ALMOR, A. Noun-Phrase Anaphora and Focus: The Informational Load Hypothesis. Psychological
Review, v. 106, n.4, p. 748-765, 1999.
CARMINATI, M.N. The processing of Italian subject pronouns. Tese de Doutoramento. University of
Massachusetts Amherst, 2002.
CHOMSKY, N. Lectures on government and binding. Dodrecht: Foris, 1981.
FAVERO, L. L. Coesão e coerência textuais. São Paulo: Ática, 1997.
FONSECA, M. C. M.; GUERREIRO, E. Resolução de correferência pronominal no português do Brasil.
RevistaLinguíStica / Revista do Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade Federal do
Rio de Janeiro, v. 8, n. 2, 2012.
FRANÇA, A. I.; MAIA, M. (orgs.) Papers in Psycholinguistics. Proceedings of the First International
Psycholinguistics Congress. Rio de Janeiro: Imprinta, 2010.
GIASSON, J. La compréhension en lecture. Tradutora: Maria José Farias. Edições ASA, S. A., 1990.
GOODMAN, K. S. Reading: a psycholinguistic guessing game. In: SINGER, H.; RUDDEL, R. B. (eds),
Theorical Models and Processes of Reading. Internacional Reading Association, 1976.
HAAG, C.R. OTHERO, G. A. O processamento anafórico: um experimento sobre a resolução de
ambiguidades em anáforas pronominais. Linguagem em (Dis)curso, v. 4, n.1, p. 65 – 80, 2003.
KLEIN, A. I.; KRÜGEL, A.; RISSE, S.; ENGBERT, R.; PEREIRA, V. W. O processamento da anáfora
pronominal em crianças com transtorno de déficit de atenção e hiperatividade e em crianças disléxicas: ume
studo através da análise dos movimentos oculares. Letra de Hoje, v. 59, n.1, p. 40-48, 2015.
LEFFA, V. J. Anaphora resolution without world knowledge. D.E.L.T.A, v. 19 (1), p. 181 – 200, 2003.
LEITÃO, M. Processamento Anafórico. In: MAIA, M. (org) Psicolinguística, Psicolinguísticas: uma
introdução. São Paulo: Contexto, 2015.
LEITÃO, M. O processamento do objeto direto anafórico no Português Brasileiro. Tese de doutorado,
UFRJ. Rio de Janeiro, 2005.
MAIA. M. A. R. The processing of object anaphora in Brazilian Portuguese. Revue Linguistique de
Vincennes, França, v. 26, p. 151 -176, 1997.
_______________. Sintaxe Experimental: uma entrevista com Marcus Maia. ReVEL, v. 10, n. 18, 2012
MIOTO, C. ET AL. Manual de Sintaxe. Florianópolis: Insular, 2000.
VASCONCELOS, M. L.; LEITÃO, M. M. Processamento correferencial de pronomes e nomes repetidos em
pacientes com afasia de Broca. ReVEL, v. 10, n. 18, 2012.
ROEPER, T. Sintaxe Experimental: uma entrevista com Thomas Roeper. ReVEL, vol. 10, n. 18, 2012.
YANG, C. L., GORDON, P. C., HENDRICK, R., WU, J. T., & CHOU, T. L. The processing of coreference
for reduced expressions in discourse integration. Journal of Psycholinguistic Research, v. 30, p. 21-35,
2001.
ZURIF, E.; SWINNEY, D.; PRATHER, P.; SOLOMON, J.; BUSCHELL, C. An On-line Analysis of
Syntatic Processing in Broca’s and Wernick’s Aphasia. Brain and Language, v. 45, p. 448-464, 1993.
Publicado
2018-02-22
Como Citar
TERRA TEIXEIRA, Mariana. O PROCESSAMENTO DE ANÁFORA PRONOMINAL NA LEITURA: MÉTODOS PSICOLINGUÍSTICOS. LETRAS EM REVISTA, [S.l.], v. 8, n. 01, fev. 2018. ISSN 1980-7732. Disponível em: <https://ojs.uespi.br/index.php/ler/article/view/23>. Acesso em: 25 set. 2018.