UMA DISCUSSÃO TEXTUAL-DISCURSIVA SOBRE MINEIRINHO, DE CLARICE LISPECTOR

  • Silvia Maria Brandão UNESP/FCLAR
  • Carlos Eduardo da Silva Ferreira

Resumo

Este artigo traz reflexões textual-discursivas a partir do conto Mineirinho, de
Clarice Lispector. Discutiremos aspectos ligados à Linguística Textual e à Análise do
Discurso, como a (i) coesão referencial (com ênfase nas referências de pessoa) e o (ii)
gênero textual (crônica e/ou conto). A análise pautada nesses dois aspectos se explica
pelo fato de esses estarem imbricados um ao outro e contribuírem, em conjunto, para
uma compreensão do texto que pode ir além do nível do fio linguístico. Para tal, noções
ligadas a intertextualidade, memória discursiva, dialogismo e heterogeneidade de discursos
serão mobilizadas, visto que a interpretação de “Mineirinho” pode ser afetada, em
diferentes níveis, se levado em conta, ou não, seu contexto de produção.

Referências

AUTHIER-REVUZ, J. Palavras incertas: as não-coincidências do dizer. Tradução de Claudia R. Castellanos
Pfeiffer, et al. Revisão técnica da tradução Eni Pulccinelli Orlandi. Campinas: Ed. da UNICAMP, 1998.
_______. Heterogeneidade mostrada e heterogeneidade constitutiva: elementos para uma abordagem do outro no
discurso. In: Entre a transparência e a opacidade: um estudo enunciativo do sentido. Apresentação Marlene Teixeira;
revisão técnica da tradução de Leci Borges Barbisan e Valdir do Nascimento Flores. Porto Alegre: EDIPUCRS,
2004.
BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2011.
________. Marxismo e Filosofia da Linguagem: problemas fundamentais do método sociológico da linguagem. São
Paulo, Hucitec, 2014.
BENTES, A.C. Linguística textual. In.: MUSSALIM, F. & BENTES, A.C. (orgs.) Introdução à linguística: domínios e
fronteiras. v.1 – 7. ed. – São Paulo: Cortez, 2007.
FARACO, C. Autor e autoria. In: BRAIT, B. (Org.) Bakhtin. Conceitos-chave. São Paulo: Contexto, 2005, p.37-
60.
FERREIRA, C. E. da S. O discurso sobre a aula de matemática: articulando vozes na revista Nova Escola. Dissertação
(Mestrado em Linguística e Língua Portuguesa) – Unesp, Araraquara-SP. 2015.
KOCH, I. V.; ELIAS, V. M. Ler e compreender: os sentidos dos textos. São Paulo: Editora Contexto, 2006.
KOCH, I.V.; TRAVAGLIA, L. C. Texto e coerência. São Paulo: Cortez, 1989.
LISPECTOR, C. In.: Conto Mineirinho – USP. Disponível em:
http://www.ip.usp.br/portal/index.php?option=com_content&id=4396:conto-qmineirinhoq-claricelispector&
Itemid=220&lang=pt. Acesso em fevereiro de 2017.
MARCUSCHI, L. A. Gêneros textuais: definição e funcionalidade in.: DIONÍSIO et. al (org.). Gêneros textuais e
ensino. São Paulo: Parábola Editorial, 2010.
MASSINI-CAGLIARI, G. O texto na alfabetização. Campinas: Mercado de Letras, 2001.
PLATÃO, S. F., FIORIN, L. J. Lições de textos: leitura e redação. 5. ed. São Paulo: Editora Ática, 2006.
ROSENBAUM, Y. A ética na literatura: leitura de "Mineirinho", de Clarice Lispector. Estudos Avançados
vol.24 no.69
SAUSSURE, F. Curso de Linguística Geral. São Paulo: Cultrix, 2013.
WEGUELIN. J. M. O Rio de Janeiro através dos jornais. S. d. Disponível em:
http://www1.uol.com.br/rionosjornais/rj45.htm. Acesso em jan. 2017
Publicado
2018-02-22
Como Citar
BRANDÃO, Silvia Maria; FERREIRA, Carlos Eduardo da Silva. UMA DISCUSSÃO TEXTUAL-DISCURSIVA SOBRE MINEIRINHO, DE CLARICE LISPECTOR. LETRAS EM REVISTA, [S.l.], v. 8, n. 01, fev. 2018. ISSN 1980-7732. Disponível em: <https://ojs.uespi.br/index.php/ler/article/view/27>. Acesso em: 25 jun. 2018.