A PRESENÇA DE MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO NA REVISTA OITOCENTISTA A MENSAGEIRA

  • Guilherme Barp Universidade de Caxias do Sul (UCS)
  • Cecil Jeanine Albert Zinani Universidade de Caxias de Sul

Resumo

O objetivo deste artigo é investigar a escrita cronística da portuguesa Maria Amália Vaz de Carvalho, presente na coluna “Selecção” da revista oitocentista brasileira A Mensageira, a fim de contribuir para a ampliação de sua fortuna crítica e, consequentemente, para a sua (re)inserção nas histórias da literatura e na memória cultural dos países de língua portuguesa. A análise do material é baseada em aportes teóricos da história das mulheres. Assim, na discussão, comparar-se-ão as realidades femininas, em Portugal e no Brasil do século XIX, com as opiniões de Carvalho, examinando o que a escritora afirmava, acerca do sujeito feminino dos oitocentos. Observou-se que ela teve quatro de seus escritos veiculados no periódico, cujos temas, em sua maioria, evidenciam um engajamento com a luta feminista da época, em relação ao direito de exercer profissões e à educação de qualidade. Assim, além do resgate realizado ajudar na sua (re)consideração nos Estudos Literários, ele colabora por trazer à tona as suas crônicas que, por sua vez, podem auxiliar na reescritura de uma história das mulheres, pensada a partir de um contexto luso-brasileiro.

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##

Acadêmico do curso de Licenciatura em Letras - Inglês pela Universidade de Caxias do Sul. Orientado pela Profa. Dra. Cecil Jeanine Albert Zinani, é bolsista de iniciação científica PROBIC-FAPERGS, desde 2017. Atualmente, faz parte do grupo de pesquisa “Imprensa feminista no século XIX e história da literatura”, coordenado pela sua orientadora.

Referências

ABREU JUNIOR, Laerthe de Moraes; CARVALHO, Eliane Vianey de. O discurso médico-higienista no Brasil do início do século XX. Trabalho, Educação, Saúde, Rio de Janeiro, v. 10, n. 3, s.p., 2012. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1981-77462012000300005. Acesso em: 27 jun. 2020.

ALMEIDA, Presciliana Duarte de. Duas palavras. In: ALMEIDA, Presciliana Duarte de (dir.). A Mensageira: revista literária dedicada à mulher brasileira. Edição fac-similar. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado; Secretaria de Estado da Cultura, 1987. v. 1. p. 1-2.

AREND, Silvia Fávero. Trabalho, escola, lazer. In: PINSKY, Carla Bassanezi; PEDRO, Joana Maria (orgs.). Nova História das mulheres. São Paulo: Contexto, 2012. p. 65-83.

BARP, Guilherme; ZINANI, Cecil Jeanine Albert. A Mensageira, um periódico feminista do século XIX. Revista Eletrônica do Instituto de Humanidades, Duque de Caxias, v. 21, n. 47, p. 156-169, 2019. Disponível em: http://publicacoes.unigranrio.edu.br/index.php/reihm/article/view/5908/3087. Acesso em: 25 jun. 2020.

CARDOSO, Nuno Catharino. Poetisas portuguesas. Lisboa: Livraria Scientifica, 1917. Disponível em: https://archive.org/details/poetisasportugue00carduoft. Acesso em: 20 jun. 2020.

CARVALHO, Maria Amália Vaz de. Selecção. In: ALMEIDA, Presciliana Duarte de (dir.). A Mensageira: revista literária dedicada à mulher brasileira. Edição fac-similar. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado; Secretaria de Estado da Cultura, 1987a. v. 1. p. 251-252.

CARVALHO, Maria Amália Vaz de. Selecção. In: ALMEIDA, Presciliana Duarte de (dir.). A Mensageira: revista literária dedicada à mulher brasileira. Edição fac-similar. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado; Secretaria de Estado da Cultura, 1987b. v. 1. p. 285-286.

CARVALHO, Maria Amália Vaz de. Selecção. In: ALMEIDA, Presciliana Duarte de (dir.). A Mensageira: revista literária dedicada à mulher brasileira. Edição fac-similar. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado; Secretaria de Estado da Cultura, 1987c. v. 1. p. 316.

CARVALHO, Maria Amália Vaz de. Selecção. In: ALMEIDA, Presciliana Duarte de (dir.). A Mensageira: revista literária dedicada à mulher brasileira. Edição fac-similar. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado; Secretaria de Estado da Cultura, 1987d. v. 1. p. 335.

CHAVES, Vania Pinheiro. Notas para o estudo da presença feminina no Almanaque de Lembranças Luso-Brasileiro. Navegações, Porto Alegre, v. 4, n. 2, p. 187-192, jul./dez. 2011. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/navegacoes/article/view/10180. Acesso em: 15 jun 2020.

COSTA, Carlos. Palestra do medico. A Mai de Familia, [s.l.], mar. 1879b. p. 33-34. Disponível em: http://memoria.bn.br/pdf/341703/per341703_1879_00005.pdf. Acesso em: 27 jun. 2020.

COSTA, Carlos. Palestra do medico. A Mai de Familia, Rio de Janeiro, set. 1879a. p. 129-130. Disponível em: http://memoria.bn.br/pdf/341703/per341703_1879_00017.pdf. Acesso em: 27 jun. 2020.

D’ESTRELLES, Condessa de Luc. Modas – chronica parisiense. Ribaltas e Gambiarras: revista semanal, Lisboa, 22 mai. 1881. p. 196-197. Disponível em: http://docvirt.com/DocReader.net/RealGabObrasRaras/30413. Acesso em: 27 jun. 2020.

DUARTE, Constância Lima. O cânone e a autoria feminina. In: SCHMIDT, Rita Terezinha (org.). Mulheres e literatura: (trans)formando identidades. Porto Alegre: Palloti, 1997. p. 53-60.

DUARTE, Constância Lima. Imprensa feminina e feminista no Brasil: século XIX; dicionário ilustrado. Belo Horizonte: Autêntica, 2017.

ESTEVES, João. Os primórdios do feminismo em Portugal: a primeira década do século XX. Penélope, n. 25, p. 87-102, 2001. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=2654444. Acesso em: 27 jun. 2020.

FLORES, Conceição; DUARTE, Constância Lima; MOREIRA, Zenóbia Collares. Dicionário de escritoras portuguesas: das origens à atualidade. Florianópolis: Mulheres, 2009.

GÓIS JUNIOR, Edivaldo. “Movimento higienista” na história da vida privada no Brasil: do homogêneo ao heterogêneo. ConScientiae Saúde, São Paulo, v. 1, p. 47-52. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/index.php?journal=saude&page=article&op=view&path%5B%5D=170&path%5B%5D=157. Acesso em: 27 jun. 2020

GRAÇA, Pedro; GREGÓRIO, Maria João. Evolução da política alimentar e de nutrição em Portugal e suas relações com o contexto internacional. Revista SPCNA, [s.l.], v. 18, n. 3, p. 79-96. Disponível em: https://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/70247/2/47843.pdf. Acesso em: 28 jun. 2020.

GUSMÃO, Emery Marques. Debates sobre educação feminina no século XIX: Nísia Floresta e Maria Amália Vaz de Carvalho. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 25, n. 50, p. 269-289, jul./dez. 2012. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/10536. Acesso em: 27 jun. 2020.

HAHNER, June Edith. Emancipação do sexo feminino: a luta pelos direitos da mulher no Brasil, 1850-1940. Florianópolis: Mulheres; Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2003.

HAHNER, June Edith. Honra e distinção de famílias. In: PINSKY, Carla Bassanezi; PEDRO, Joana Maria (orgs.). Nova História das mulheres. São Paulo: Contexto, 2012. p. 43-64.

LUCA, Leonora de. A mensageira: uma revista de mulheres escritoras na modernização brasileira. 1999. 581 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Mestrado em Sociologia, Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciências Sociais, Campinas, 1999. Disponível em: http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/280414. Acesso em: 25 jun. 2020.

MUZART, Zahidé Lupinacci. A questão do cânone. In: SCHMIDT, Rita Terezinha (Org.). Mulheres e literatura: (trans)formando identidades. Porto Alegre: Palloti, 1997. p. 79-89.

NORONHA, Joanna Paula Manso de. As nossas assignantes. O Jornal das Senhoras: modas, litteratura, belas-artes, theatros e critica, Rio de Janeiro, jan. 1852. n. 1. p. 1. Disponível em: http://memoria.bn.br/pdf/700096/per700096_1852_00001.pdf. Acesso em: 28 jun. 2020.

PEDRO, Carlota Maria Conceição Aires. Educação feminina no século XIX em Portugal: em busca de uma consciência. 2006. 244 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Mestrado em Ciências da Educação, Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação, Lisboa, 2006. Disponível em: http://hdl.handle.net/10451/32374. Acesso em: 27 jun. 2020.

REIS, Bianca Santos Coutinho dos. Cérebros e corações: a ficção de Maria Amália Vaz de Carvalho no Jornal do Commercio, do Rio de Janeiro. 2012. 120 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Mestrado em Letras - Literatura Portuguesa, Centro de Educação e Humanidades; Instituto de Letras, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2012. Disponível em: http://bdtd.ibict.br/vufind/Record/UERJ_1fa95489c79fc82a93d7637f64302000#details. Acesso em: 27 jun. 2020.

ROCHA-COUTINHO, Maria Lúcia. Tecendo por trás dos panos: a mulher brasileira nas relações familiares. Rio de Janeiro: Rocco, 1994.

SANTOS, José Américo dos. Selecção. In: ALMEIDA, Presciliana Duarte de (dir.). A Mensageira: revista literária dedicada à mulher brasileira. Edição fac-similar. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado; Secretaria de Estado da Cultura, 1987. v. 1. p. 57.

SILVA, Poliana Moreira; GIULIANI, Carla Denari. Movimento higienista: a construção da figura feminina. Caderno Espaço Feminino, Uberlândia, v. 31, n. 2, p. 95-110, 2018. Disponível em: http://dx.doi.org/10.14393/CEF-v31n2-2018-5. Acesso em: 27 jun. 2020.

SIMONTON, Deborah. A history of European women’s work: 1700 to the present. Londres: Routledge, 2003.

VASCONCELLOS, Eliane. Presciliana Duarte de Almeida. In: MUZART, Zahidé Lupinacci (org.). Escritoras brasileiras do século XIX. Florianópolis: Mulheres; Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2004. v. 2. p. 407-428.

ZINANI, Cecil Jeanine Albert. Produção literária feminina: um caso de literatura marginal. Antares: Letras e Humanidades, Caxias do Sul, v. 6, n. 12, p. 183-195, jul./dez. 2014. Disponível em: http://www.ucs.br/etc/revistas/index.php/antares/article/view/3059. Acesso em: 15 jun. 2020.
Publicado
2021-04-27
Como Citar
BARP, Guilherme; ZINANI, Cecil Jeanine Albert. A PRESENÇA DE MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO NA REVISTA OITOCENTISTA A MENSAGEIRA. LETRAS EM REVISTA, [S.l.], v. 11, n. 2, abr. 2021. ISSN 2318-1788. Disponível em: <https://ojs.uespi.br/index.php/ler/article/view/313>. Acesso em: 05 dez. 2021.