O TRABALHO COM A LEITURA NO LIVRO DIDÁTICO DE PORTUGUÊS: EM FOCO, ANÚNCIOS PUBLICITÁRIOS NO 3º ANO DO ENSINO MÉDIO

  • Tarcilane Fernandes da Silva Universidade Federal de São Carlos - UFSCar

Resumo

Os anúncios publicitários constituem excelentes ferramentas para o trabalho com
a leitura em sala de aula, pois possibilitam uma reflexão subscrita a outras linguagens, além de
se configurarem num gênero comum no cotidiano do aluno. Propomos, no presente artigo,
uma análise de anúncios publicitários presentes no livro didático “Português Linguagens 3”,
de Cereja e Magalhães (2008), analisando as atividades que são propostas e sugerindo
reflexões que podem ser feitas a fim de desenvolver no discente habilidades concernentes à
leitura. A discussão está centrada na Linguística Aplicada, com interfaces com o ensino de
língua portuguesa e o trabalho com a leitura em sala de aula. Como resultado, concluímos
que grande parte dos conteúdos cujo anúncio publicitário era o texto norteador, desenvolveu
apenas um trabalho de construção de conceitos gramaticais, deixando de propor atividades
interpretativas e reflexivas acerca deste gênero, habilidade mínima esperada para
concludentes do último ano da Educação Básica.

Referências

BAKHTIN, Mikhail (Volochínov). Marxismo e Filosofia da Linguagem. 13. ed. – São Paulo: Hucitec, 2009.
______. Estética da Criação Verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1997.
BATISTA, Antônio Augusto Gomes. O conceito de livros didáticos. In: BATISTA, Antônio Augusto Gomes;
BELMIRO, Célia Abicalil. A imagem e suas formas de visualidade nos livros didáticos de português. Educação &
Sociedade, ano XXI, n. 72, p. 11-31, agosto, 2000.
BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais, 3º e
4º ciclos: língua portuguesa. Brasília, 1998.
BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares
Nacionais (Ensino Médio). Brasília: MEC/SEF, 2000.
BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Orientações Curriculares para o Ensino
Médio – vol. 1. Linguagens, códigos e suas Tecnologias. Brasília: MEC/SEF, 2006.
Brasil no PISA 2015: análises e reflexões sobre o desempenho dos estudantes brasileiros /OCDE Organização para
a Cooperação e Desenvolvimento Econômico. – São Paulo: Fundação Santillana, 2016. Disponível em:
http://download.inep.gov.br/acoes_internacionais/pisa/resultados/2015/pisa2015_completo_final_baixa.pdf.
CEREJA, William Roberto; Magalhães, Thereza Cochar. Português: Linguagens. Volume 3: Ensino Médio. 6. ed.
São Paulo: Atual, 2008.
CARDOSO, S. H. B. Discurso e Ensino. 2 ed. Belo Horizonte: Autêntica- FALE-UFMG, 2005.
DELL’ISOLA, Regina L. Péret. Ler e parafrasear: do sentido ao texto, do texto ao sentido. In: MARI, Hugo;
WALTY, Ivete; VERSIANI, Zélia (orgs.). Ensaios sobre leitura. Belo Horizonte: PUC Minas, 2005.
FERREIRA, Norma Sandra de Almeida. Entre livros: A história do ensino de leitura e de escrita. In: MORTATTI,
Maria do Rosário Longo; FRADE, Isabel Cristina Alves da Silva (Orgs.). História do ensino de leitura e de
escrita: métodos e material didático. São Paulo: editora Unesp, Marília: Oficina Universitária, 2014.
GALVÃO, Ana Maria de Oliveira. Livros escolares de leitura no Brasil: elementos para uma história. Campinas,
SP: Mercado de Letras, 2009.
GERALDI, João Wanderley. Prática da leitura na escola. In: GERALDI, J. W. (Org.). O texto em sala de aula. São
Paulo: Ática, 2001, p. 88-103.
KLEIMAN, Ângela. Formando leitores críticos. In: MARI, Hugo; WALTY, Ivete; FONSECA, Maria N. S. (Orgs.).
Ensaios sobre leitura 2. Belo Horizonte: Editora PUC Minas, 2007.
MATSUDA, Alice Atsuko; REMENCHE, Maria de Lourdes Rossi. Entre teoria e prática: um percurso orientado
para a formação de leitores. Interletras, v. 3, n. 19, p. 01-14, abr./set. 2014.
MENEGASSI, R.J. Avaliação de leitura: Construção e ordenação de perguntas In: CONGRESSO DE LEITURA
DO BRASIL,17., 2009, Campinas. Anais do 17º COLE, Campinas, SP,: ALB, 2009. Disponível em:
http://www.alb.com.br/portal.html. Acesso em: 07 mar. 2017. ISSN: 2175-0939.
OTA, Ivete Aparecida da Silva. O livro didático de língua portuguesa no Brasil. Educar, Curitiba, n. 35, p. 211-221,
2009.
OLIVEIRA, João Batista Araújo e. Os livros descartáveis: exigência pedagógica ou apenas um bom negócio?
Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 44, p. 90-94, fev., 1983. Disponível em:
http://publicacoes.fcc.org.br/ojs/index.php/cp/article/view/1516/1510.
PASTORELLO, Lucila Maria. Leitura em voz alta e produção de subjetividade. São Paulo: Edusp, 2015.
PERNI, Mário A. Pelos caminhos da perplexidade: uma receita para ler sem entender. In: MARI, Hugo; WALTY,
Ivete; VERSIANI, Zélia (orgs.). Ensaios sobre leitura. Belo Horizonte: PUC Minas, 2005.
ROJO, R. H. R. Linguagens Códigos e suas tecnologias. In: BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de
Educação Básica. Departamento de Políticas de Ensino Médio. Orientações curriculares do ensino médio.
Brasília, 2004.
SILVA, Glayse Ferreira Perroni da. A mensagem visual nos anúncios publicitários. Cadernos de Letras da UFFDossiê:
palavra e imagem, Rio de Janeiro, n. 44, p. 329-346, 2012.
SOARES, M. O livro didático como fonte para a história da leitura e da formação do professor-leitor. In:
MARINHO, M. (Ed.). Ler e navegar: espaços e percursos da leitura. Belo Horizonte - MG: Mercado de Letras,
2001.
Publicado
2018-02-22
Como Citar
FERNANDES DA SILVA, Tarcilane. O TRABALHO COM A LEITURA NO LIVRO DIDÁTICO DE PORTUGUÊS: EM FOCO, ANÚNCIOS PUBLICITÁRIOS NO 3º ANO DO ENSINO MÉDIO. LETRAS EM REVISTA, [S.l.], v. 8, n. 01, fev. 2018. ISSN 1980-7732. Disponível em: <https://ojs.uespi.br/index.php/ler/article/view/32>. Acesso em: 25 jun. 2018.