“TOCANDO O TERROR”: A CONCEPTUALIZAÇÃO METAFÓRICA DA VIOLÊNCIA NOS JORNAIS DE CARUARU (PE)

  • RODOLFO JARBAS LEAL SANTIAGO JUNIOR UNIFAVIP DEVRY
  • Adriano Dias

Resumo

Desde 1980, com os estudos de Lakoff e Johnson, a Teoria da Metáfora
Conceptual deslocou a metáfora do locus de figura de linguagem, ou de mero recurso de fala,
para a condição de recurso conceptual do próprio pensamento. A mudança desse paradigma
acabou por legar à metáfora a identidade de representante do pensamento ou, pelo menos,
de chave para os diversos frames cognitivos que conceptualizam o mundo ao nosso redor:
pode-se reconstruir as percepções e conceptualizações do falante, acerca de suas experiências
cotidianas, a partir das metáforas por ele usadas. Nosso trabalho se propõe a identificar as
expressões metafóricas usadas para categorizar violência, em jornais de Caruaru,
Pernambuco, e a reconstruir os conceitos metafóricos que essas expressões podem evocar na
nossa cultura.

Referências

BAUMAN, Z. Modernidade Líquida. Rio de janeiro: Zahar, 2001.
CAMERON, L. Comparing responses to violence and uncertainty in Brazil and the UK: background to a
collaborative project, 2010. Disponivel em:
http://www.open.ac.uk/researchprojects/livingwithuncertainty/sites/www.open.ac.uk.researchprojects.livingwithun
certainty/files/pics/d133817.pdf. Acesso em: 19 dez. 2016.
FELTES, H. P. M.; PELOSI, A. C.; CAMERON, L.; FERREIRA, L. C. Metaphors, metonymies and empathi in
focal groups talk about violence in Brazil: a dynamic discourse approach. Revista Investigações, Recife, v. 28, Julho 2015.
ISSN 2175-294X.
LAKOFF, G.; JOHNSON, M. Metaphors we live by. Chicago: The University of Chicago Press, 1980.
LAKOFF, G.; JOHNSON, M. Philosophy in the flesh: The embodied mind and its challenge to western thought. New
York: Basic Books, 1999.
LAKOFF, G.; JOHNSON, M. Metaphors we live by. With a New Afterword. Chicago: The University of Chicago
Press, 2003.
KÖVECSES, Z. Metaphor: A Practical Introduction. New York and London: Oxford, 2002.
SCHMITT, R. Análise sistemática de metáforas. Um método de pesquisa qualitativa. Tradução: Adriano Dias de
Andrade. Recife: Editora UFPE, 2017.
SCHMITT, R. Metáforas no Serviço Social: um tipo específico de conhecimento profissional? Tradução: Adriano
Dias de Andrade, do texto original “Metaphors in Social Work: A specific kind of professional knowledge?”. Revista
Investigações, Vol. 29, nº 2, Julho/ 2016, p. 282-313. Disponível em:
http://www.repositorios.ufpe.br/revistas/INV/article/view/5785. Acesso em: 27 mar. 2017.
SCHMITT, R. Systematic Metaphor Analysis as a Method of Qualitative Research. The Qualitative Report 10(2),
2005, p. 358-394. Disponível em: http://nsuworks.nova.edu/tqr/vol10/iss2/10/. Acesso em: 27 mar. 2017.
VEREZA, Solange C. “Metáfora é que nem...”: cognição e discurso na metáfora situada. Signo [ISSN 1982-2014].
Santa Cruz do Sul, v. 38, n. 65, p. 2-21, jul. dez. 2013. Disponível em: http://online.unisc.br/seer/index.php/signo.
Acesso em: 07 abr. 2017.
VEREZA, Solange C. O lócus da metáfora: linguagem, pensamento e discurso. Cadernos de Letras da UFF – Dossiê:
Letras e cognição, n. 41, p. 199-212, 2010. Disponível em: http://www.uff.br/cadernosdeletrasuff/41/artigo10.pdf.
Acesso em: 07 abr. 2017.
Publicado
2018-02-22
Como Citar
SANTIAGO JUNIOR, RODOLFO JARBAS LEAL; DIAS, Adriano. “TOCANDO O TERROR”: A CONCEPTUALIZAÇÃO METAFÓRICA DA VIOLÊNCIA NOS JORNAIS DE CARUARU (PE). LETRAS EM REVISTA, [S.l.], v. 8, n. 01, fev. 2018. ISSN 1980-7732. Disponível em: <https://ojs.uespi.br/index.php/ler/article/view/35>. Acesso em: 14 dez. 2018.