FERNANDA E FLORBELA: CURIOSOS ENCONTROS E DESENCONTROS NA VIDA, NA LITERATURA E NOS JORNAIS

  • Andreia Alves Monteiro de Castro Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ

Resumo

A obra e a vida das poetisas Fernanda de Castro e Florbela Espanca, quase sempre antitéticas, mas, sem dúvidas, complementares, para além da importância estética e artística, são testemunhos importantes do momento histórico no qual estão inseridas. Impressionantemente, algumas aproximações entre as duas já haviam sido ensaiadas pelas próprias poetisas, cujas trajetórias, tanto biográficas como artísticas, cruzaram-se algumas vezes. Se a princípio se comportaram como rivais, disputando tanto no campo literário como no dos afetos, as transformações das mentalidades ocorridas durante quase três décadas, certamente, fizeram com que Fernanda e Florbela, pelo menos simbolicamente, se apaziguassem. Fernanda, que de alguma forma contribuiu para criação de uma imagem esteriotipada e estgmatizada de Florbela, com a maturidade entendeu que as vicissitudes impostas pelo contexto sociocultural do início do século XX também foram responsáveis pelo “encontro falhado” das duas. Fernanda, que só morreria em 1994, testemunhou tantas outras transformações sociais e políticas que fizeram com que Florbela fosse considerada um dos grandes nomes da poesia portuguesa.

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##

Professora Adjunta de Literatura Portuguesa e de Literaturas Africanas de Língua Portuguesa no Instituto de Letras da UERJ (2019). Doutora em Literatura Comparada pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (2017). Mestra em Literatura Portuguesa pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (2010). Graduada em Letras - Português e Literaturas de Língua Portuguesa - pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2007). Licenciada em Letras pela Universidade Cândido Mendes (2009). Membro do Polo de Pesquisa de Relações Luso-Brasileiras do Real Gabinete Português de Leitura. Membro associado ao Centro de Estudos Clássicos da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

Referências

ALMEIDA, Leão Francisco. Notícias de Évora. Évora: 18 de junho de 1949.
ALONSO, Cláudia Pazos. Imagens do eu na poesia de Florbela Espanca. Lisboa: Imprensa Nacional Casa da Moeda, 1997.
CASTRO, Fernanda de. Antemanhã. Lisboa: [s.n.], 1919.
_____. Álbum de retratos. In: Diário de Notícias. Lisboa: 1924. Disponível em: http://purl.pt/272/2/n10/n10_item34/index.html. Acessado em: 28 de abril de 2020.
_____. Florbela Espanca. Eva. Ano 6, n. 304. Lisboa, 07 de março de 1931.
_____. A fim da memória. Memórias I. Lisboa: Litografia Original, 1988.
_____.70 anos de poesia: 1919-1989. Porto: Fundação Eng. António Almeida, 1989.
_____. Cartas para além do tempo. In: Obras Completas. Círculo de Leitores, 2006.
ESPANCA, Florbela. Afinado Desconcerto. Estudo introdutório, estabelecimento de texto e notas de Maria Lúcia Dal Farra. São Paulo: Iluminuras, 2002.Letras em Revista (ISSN 2318-1788), Teresina, v. 11, n. 02, jun./dez. 2020 62
_____. Poesias. Obras Completas. Organização, apresentação e notas de Michelle Vasconcelos Oliveira do Nascimento. Prefácio de Maria Lúcia Dal Farra.
GRAÇA. J.J. da Silva (diretor). Ilustração Portuguesa. 2.ª série, n.º 820. Lisboa: 5 de novembro de 1921.
SERRÃO, Joaquim Veríssimo. História de Portugal. Volume XII (1910-1926). Lisboa: Verbo, 1990.
SCHWALBACH, Eduardo(diretor). Diário de Notícias. Lisboa: 27 de fevereiro de 1931.
TEIXEIRA, Maria Amélia (diretora). Portugal Feminino, Ano1. n. 08. Lisboa: setembro de 1930
Publicado
2021-04-28
Como Citar
ALVES MONTEIRO DE CASTRO, Andreia. FERNANDA E FLORBELA: CURIOSOS ENCONTROS E DESENCONTROS NA VIDA, NA LITERATURA E NOS JORNAIS. LETRAS EM REVISTA, [S.l.], v. 11, n. 2, abr. 2021. ISSN 2318-1788. Disponível em: <https://ojs.uespi.br/index.php/ler/article/view/389>. Acesso em: 23 jun. 2021.