EDUCAÇÃO FEMININA NO PIAUÍ: CONTRIBUIÇÕES DO PERIÓDICO BORBOLETA

  • Fabíola Nunes Brasilino Universidade Federal do Piauí
  • Raimunda Celestina Mendes da Silva UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ

Resumo

No final do século XIX e início do século XX, no Brasil, as mulheres passam a reivindicar igualdade em relação aos homens, em diversos âmbitos da vida social, questionando a submissão feminina e a restrição do acesso à educação, ao mercado de trabalho e à participação política. Nesse período, escritoras publicam livros e organizam periódicos, a exemplo do jornal Borboleta, que circulou em Teresina de 1904 a 1907, tendo como redatoras Helena Burlamaqui, Maria Amélia Rubim e Alaíde Burlamaqui. Projeto inovador para a época, a proposta de o Borboleta era dar oportunidade às mulheres de participarem ativamente da cultura, bem como promover a conscientização da sociedade para a importância da educação feminina. Dessa forma, este trabalho explicita as contribuições do periódico Borboleta para a formação educacional da mulher piauiense. Como aporte teórico foram consultados os seguintes autores: Alves (1985), Pitanguy (1985), Zolin (2009), Duarte (1987), Safiotti (1987), entre outros.

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##

Possui graduação em Licenciatura Plena em Língua Inglesa pela Universidade Federal do Piauí (2010) e  Bacharelado em Biblioteconomia pela Universidade Estadual do Piauí (2008). Mestre em Letras (UESPI). Atualmente é bibliotecária documentalista efetiva da Universidade Federal do Piauí. Tem experiência na área de Ciência da Informação, com ênfase em Ciência da Informação, atuando principalmente nos seguintes temas: biblioteca, desenvolvimento de coleções, deficiente visual, acesso à informação e inclusão social.

Referências

ALVES, B. M.; PITANGUY, J. O que é feminismo. São Paulo: Ed. Abril cultural: Brasiliense, 1985.
B. A. Adorno de mulher. Borboleta, Teresina, p. 1, 29 dez. 1905.
B. H. O esquecimento dos pobres. Borboleta, Teresina, p. 2, 29 jan. 1906.
CASTELO BRANCO, P. V. Mulheres escritas: literatura e identidades femininas em Teresina (1900-1930). História hoje, Marília, v. 3, n. 9, 2006. Disponível em: < www.anpuh.org/arquivo/download%3FID_ARQUIVO%3D79+&cd=15&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br . Acesso em: 21 jun. 2020.
CASTELO BRANCO, P. V. Mulheres plurais: a condição feminina na primeira república. Teresina: Edufpi, 2013.
DUARTE, Constância Lima. Literatura feminina e crítica literária. *Comunicação apresentada na ANPOLL - II Encontro Nacional, 26 a 29/maio/87. Rio de Janeiro. Disponível em: file:///C:/Users/nanep/Downloads/critica%20liter%C3%A1ria%20%20feminina.PDF. Acesso em: 19/06//2020.
DUARTE, Constância Lima. Apontamentos para uma história da educação feminina no Brasil – século XIX. In: DUARTE, Constância Lima (co-org.). Gênero e representação: teoria, história e crítica. Belo Horizonte: Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários - Faculdade de Letras da UFMG, 2002. (Coleção Mulher e Literatura, v. 1), p. 274.
FERREIRA, Ronyere; QUEIROZ, Teresinha. Um literato feminista: Jônatas Batista e as ampliações das responsabilidades femininas em Teresina (1906-1927). História, histórias, Brasília, v. 3, n. 6, 2015. Disponível em: http://periodicos.unb.br/index.php/hh/article/view/13342. Acesso em: 3 jun. 2020.
LIMA, Sandra Lúcia Lopes. Imprensa feminina, revista feminina: a imprensa feminina no Brasil. In: Projeto História. São Paulo, nº 35, dez. 2007, p.221-240.
LAJOLO, M. O que é literatura. São Paulo: Brasiliense, 1990. Coleção Primeiros Passos.
M. Em prol da educação. Borboleta, Teresina, p. 1, 29 dez. 1905.
NEVES, Abdias. Um Manicaca. Teresina: Corisco, 2000.
O homem. Borboleta, Teresina, p. 1, 1 mar. 1906.
PERROT, M. Mulheres públicas. São Paulo: UNESP, 1998.
QUEIROZ, Teresinha. Os literatos e a República: Clodoaldo Freitas, Higino Cunha e as tiranias do tempo. 3. ed. Teresina: EDUFPI, 2011.
SAFFIOTI, H. I. B. O poder do macho. São Paulo: Moderna, 1987.
SILVA, Raimunda Celestina Mendes da. A produção de Luíza Amélia de Queiroz e Lili Castelo Branco: a construção de um lugar na história da literatura piauiense. In: MOREIRA Maria Eunice; OLIVEIRA, Amanda da Silva; NASCIMENTO, Fábio, Varela. Escritas e leituras contemporâneas: histórias da literatura. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2019.
TELLES, N. Escritores, escritos, escrituras. In: DEL PRIORE, M. (Org.). História das mulheres no Brasil. 3. ed. São Paulo: Contexto, 2000.
TELLES, N. Autor+a. In: JOBIM, José Luís. (Org.) Palavras da crítica. Rio de Janeiro: Imago, 1992.
ZOLIN, L. O. A literatura de autoria feminina brasileira no contexto da pós-modernidade. Ipotesi, Juiz de Fora, v. 13, n. 2, p. 105 - 116, jul./dez. 2009. Disponível em: http://www.ufjf.br/revistaipotesi/files/2009/10/a-literatura-de-autoria-feminina.pdf. Acesso: 22 nov. 2017
Publicado
2021-04-28
Como Citar
NUNES BRASILINO, Fabíola; SILVA, Raimunda Celestina Mendes da. EDUCAÇÃO FEMININA NO PIAUÍ: CONTRIBUIÇÕES DO PERIÓDICO BORBOLETA. LETRAS EM REVISTA, [S.l.], v. 11, n. 2, abr. 2021. ISSN 2318-1788. Disponível em: <https://ojs.uespi.br/index.php/ler/article/view/391>. Acesso em: 23 jun. 2021.