ANA PLÁCIDO: O MAIS CÉLEBRE ADULTÉRIO FEMININO NO PORTUGAL OITOCENTISTA

  • Fabio Mario da Silva UNIFESSPA/CLEPUL

Resumo

A proposta do nosso trabalho é rastrear o envolvimento amoroso entre Ana Plácido e Camilo Castelo Branco, apontando algumas datas, até a prisão de ambos, acusados de queixa crime de adultério. Para isso, iremos refletir a partir de algumas leis oitocentistas que referem os temas da separação judicial e da infidelidade masculina e feminina, e aludir como o crime de adultério estava relacionado à honra social. Iremos observar também como Ana Augusta Plácido reagiu a toda essa acusação e como o tribunal proferiu a sentença final contra os acusados

Referências

ALONSO, Cláudia Pazos. A trajetória literária de Ana Plácido e o papel de Camilo. In: SOUSA, Sérgio Guimarães de (org.). Representações do feminino em Camilo Castelo Branco. Vila Nova de Famalicão: Casa Camilo-Centro de Estudos, 2014, p.39-64.
ANÔNIMO. Ana Plácido. In Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira. Vol. 21, Lisboa/Rio de Janeiro: Editorial Enciclopédia Limitada, 1945, p.45-47.
ASSIS, Machado de. “Crônica”. In: O Futuro. Rio de Janeiro: Tipografia do Correio Mercantil, 1863.
BESSA-LUÍS, Agustina. Camilo. Génio e Figura. Cruz Quebrada: Casa das Letras, 2008.
BERNARDINO, Teresa. O segredo de Ana Plácido. Lisboa: Veja, 2000.
BRIGAS, Miriam Afonso. A herança patriarcal na construção da identidade feminina na legislação civil dos séculos XIX e XX – da esposa obediente à mulher casada com direitos aparentes. In: SILVA, Fabio Mario da; RICCI, Debora; RITA, Annabela; VILELA, Ana Luísa; ROSA, Cristina; CASTAGNA, Vanessa (Organizadoras/A cura di). Estudos de género em contexto lusófono e italiano: debates e reflexões / Studi di Genere in ambito lusofono e italiano: dibattito e riflessioni. Lisboa: CLEPUL,
2019, p.117-130. Disponível em: . Acesso em 24 de janeiro de 2020.
BRANCO, Affonso d’Azevêdo Nunes. Comentários. In: PLÁCIDO, Ana. Cartas inéditas da segunda mulher de Camillo Castello Branco, com algunas notas e comentários de Affonso d’Azevêdo Nunes Branco. Lisboa: Livraria J. Rodrigues, 1916, p. 9-13.
BRANCO, Camilo Castello. No Bom Jesus do Monte. 2.ª ed. Porto: Chardron, 1906.
BRANCO, Camilo Castelo. Anos de prosa. In Obras completas de Camilo Castelo Branco. Vol. III.
Porto: Lello & Irmão, 1991.
CABRAL, Alexandre. A via dolorosa 1859-1860. Camilo Castelo Branco. Porto: Livros Horizonte, 1979.
CABRAL, Alexandre. Dicionário de Camilo Castelo Branco. Lisboa: Caminho, 1989.
CABRAL, António. Camilo de Perfil. Traços e notas – cartas e documentos inéditos. 2.ª. Paris/Lisboa: Livraria Ailland e Bertrand, 1922.
CABRAL, Fernanda Damas. Ana Plácido. Estudo, cronologia, antologia (narrativa). Lisboa: Caminho, 1991.
CAMPOS, Maria Amélia. Ana, a Lúcida. Biografia de Ana Plácido. Lisboa: Parceria A.M. Pereira, 2008.
CASTRO, Andreia Alves Monteiro de. Entre o amor e o crime: a participação da literatura e da imprensa no processo de adultério de Camilo e Ana Plácido. In Via Atlântica. São Paulo: USP. N.º 34, dez. de 2018a, p.49-60. Disponível em: . Acesso em 18 de novembro de 2019.
CASTRO, Andreia Alves Monteiro de. Amores encarcerados: as memórias de Camilo e de Ana Plácido. InConvergência Lusíada. N.º 39. Rio de Janeiro: Gabinete Português de Leitura. Jan.jun., 2018b, p.68-87. Disponível em: . Acesso em 24 de fevereiro de 2020.
CASTRO, Aníbal Pinto. Ana Plácido, a ‘heroína’ de Camilo. In A Mulher na Vida e Obra de Camilo. Braga: Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão/Centro de Estudos Camilianos, 1997, p.9-34.
CASTRO, Aníbal Pinto de. Ana Plácido a mulher que se maravilhou a si própria. In PLÁCIDO, Ana. Luz coada por ferros/ Herança de Lágrimas. Edição facsimilada. Vila Nova de Famalicão: Lello & Irmãos Editores/ Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, 1995, p.3-31.
CASTRO, J. C. Vieira de. Camillo Castello Branco (Noticia da sua vida e obra). 2.ª edição correta e aumentada, precedida das melhores criticas publicadas acerca d’esta obra. Porto: Graphica de António José da Silva Teixeira, 1863.
COSTA, Sousa. Processo de querela contra Dona Ana Augusta Plácido e Camilo Castelo Branco por crime de adultério (Sep. de “Grandes dramas judiciários: tribunais portugueses”, correspondente ao fasc. 9, em tiragem especial de 200 exemplares numerados e rubricados pelo autor). Porto: O ‘Primeiro de
Janeiro’, s.d.
COSTA, Sousa. Camilo no drama da sua vida. Porto: Livraria Civilização, 1959.
D’ARAÚJO, Veloso. Camilo em San Miguel de Seide. Braga: Livraria Cruz – Editora, 1925.
FLORES, Conceição. Ana Plácido: uma mulher à frente do seu tempo. In: Revista Ártemis. Volume XIX. Jan-Jul, 2015, p. 26-32. Disponível em: . Acesso 3 de janeiro de 2020.
FLORES, Conceição. Meditações autobiográficas de Ana Plácido. In: Revista Soletras, Rio de Janeiro: Faculdade de Formação de Professores da UERJ. Nº. 34, p. 165-176, 2017. Disponível em: . Acesso 4 de janeiro de 2020.
FIGUEIRAS, Paulo de Passos. Camilo e Ana Plácido - Alguns factos inéditos da sua vida. In: Cadernos Vianenses. Tomo 44, 2010, p. 229-255. Disponível em: . Acesso em 12 de dezembro de 2019.
LIMA, José de. Correspondência epistolar sobre a ida de D. Ana Plácido para o recolhimento de São Cristovão em Lisboa. Publicação e notas de José de Lima. Porto: Editorial Domingos Barreira, 1944.
MARCO, Visconde do. Cartas inéditas de Camilo e de D. Ana Plácido. Lisboa: Livraria Popular, 1933.
MACHADO, Julio Cesar. Scenas da minha terra. Lisboa: Edição José Maria Correa Seabra, 1862.
NATÁRIA, Anabela. Portuguesas com história - século XIX. Rio de Mouro: Círculo de Leitores, 2008, p. 73-79.
OSÓRIO, Paulo. Camillo: a sua vida, o seu génio, a sua obra. Porto: Magalhães & Moniz, 1910.
OLIVEIRA, Paulo Motta de. As mulheres de Camilo: vozes ocultas na trama romanesca. In:DUARTE, Constância Lima; SCARPELLI, Marli Dantini (org.). Gênero e representação nas literaturas de Portugal e África. Belo Horizonte: UFMG, 2002, p.136-168.
PIMENTEL, Alberto. O Torturado de Seide: Camilo Castelo Branco. Lisboa: Livraria de Manoel dos Santos, 1922.
PIMENTEL, Alberto. Memórias do tempo de Camilo. Porto: Campanha Portuguesa Editora, 1913.
PIMENTEL, Alberto. Os Amores de Camilo. Lisboa: Libano & Cunha Editores, 1899.
PLÁCIDO, Ana. Cartas inéditas da segunda mulher de Camillo Castello Branco, com algunas notas e comentários de Affonso d’Azevêdo Nunes Branco. Lisboa: Livraria J. Rodrigues, 1916.
PLÁCIDO, Ana. Herança de Lágrimas. Prefácio de Inês Pedrosa. Lisboa: Sibila Publicações, 2009.
PEDRO, Carlota Maria Conceição Aires. Educação feminina no século XIX em Portugal: em busca de uma consciência, mestrado em educação. Lisboa: Universidade de Lisboa, 2006.
RIBEIRO, Aquilo. O Romance Camilo. Vol II. Lisboa: Livraria Betrand, 1974.
SADLIER, Darlene J., “Portugal”. In: BUCK, Claire (ed.). Bloomsbury guide to women’s literature. London: Bloomsbury Publishing Limited, 1992, p.89-92.
SANTANA, Maria Helena; LOURENÇO, António Apolinário. No leito. Comportamentos sexuais e erotismo. In: (ed.) MATOSSO, José; VAQUINHAS, Irene. História da Vida Privada em Portugal. A Época Contemporânea. Lisboa: Círculo de Leitores, e Temas e Debates, 2011, p. 254-280.
SANTOS, Maria Eduarda Borges da. Ana Plácido, Maria Amália Vaz de Carvalho e Ana de Castro Osório: reflexões sobre casamento e divórcio. In: BESSA, Maria Graciete; SILVA, Maria Araújo da (Org.). Femmes ou bliées dans les artes et les lettres au Portugal (XIX-XX siècles). Paris: Indigo, 2016, p. 97-109.
SANTOS, Maria Eduarda Borges dos. Da identidade feminina na ficção portuguesa de Oitocentos: voz(es) de mulher, perspectiva (s) de autor. Tese de doutoramento. Salamanca: Universidade de Salamanca, 2011.
SANTOS, Maria Eduarda Borges dos. Ana Plácido ou a ‘transgressão’ feminina. In: Dedalus. Revista Portuguesa de Literatura comparada. Vol. II. N,º18. Lisboa: Associação de Literatura Comparada, 2013-2014, p. 901-916.
SANTOS, Maria José Moutinho. As prisões do liberalismo. Porto: Edições Afrontamentos, 1999.
SCHWEITZER, Christine. Adultère (femme). In: BRUNEL, Pierre (dir.). Dictionnaire des Mythes Féminins. Lonrai: Éditions Du Rocher, 2002, p.34-36.
TELES, Alberto. Camilo na cadeia da relação do Porto: revelações colhidas por fôra dos seus livros. Lisboa: Livraria Ferreira, 1917.
TELES, Manuel Tavares. Camilo e Ana Plácido. Episódios ignorados da célebre paixão romântica. Porto: Edições Caixotim, 2008.
VAQUINHAS, Irene. A família, essa ‘pátria em miniatura. In: MATTOSO, José Mattoso; VAQUINHAS, Irene (ed.). História da Vida Privada em Portugal. A Época Contemporânea. Lisboa: Círculo de Leitores, e Temas e Debates, 2011, p. 118-151.
Publicado
2021-05-03
Como Citar
SILVA, Fabio Mario da. ANA PLÁCIDO: O MAIS CÉLEBRE ADULTÉRIO FEMININO NO PORTUGAL OITOCENTISTA. LETRAS EM REVISTA, [S.l.], v. 11, n. 2, maio 2021. ISSN 2318-1788. Disponível em: <https://ojs.uespi.br/index.php/ler/article/view/398>. Acesso em: 23 jun. 2021.