Memória citadina e ficcionalização na obra de H. Dobal

  • Enéias Napoleão Araújo Brasil Uespi

Resumo

Este artigo contém duas partes, na primeira examinamos o conto O adulto incompleto da obra Um homem particular (1985), de H. Dobal (1927-2008) a partir da relação entre homem e memória como ressignificação do presente. Examinamos na segunda parte a narrativa e três poemas da obra A serra das confusões (1978) com vistas a verificar o processo de ficcionalização do eu-empírico através da configuração da personagem Tristão Teixeira, retratada em diversos poemas de Dobal e também em parte de sua prosa. Para tal objetivo, partimos de teorias que tratam da relação entre a memória e o processo de ficcionalização em obras literárias. Sob a citada perspectiva, abordamos as teorias de Maurice Halbwachs (2006), Henri Bergson (1999), Benedito Nunes (1988) e Dominique Combe (2009). A memória citadina pode ensejar no narrador de O adulto incompleto uma reinterpretação de seu presente com vistas a corroborar sua atual condição de decadência. Em A serra das confusões, a proposta literária pauta-se na criação de uma relação lúdica entre realidade e ficção.


 Palavras-chave: Memória. Ressignificação. Ficcionalização.

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##

Mestre em Letras: Literatura, Memória e Cultura (UESPI, 2018). Graduado em Letras Licenciaturas: Português e Literatura (UEMA, 2010). Professor efetivo de Língua Portuguesa da Secretaria Municipal de Educação de Teresina. Atua na área de Letras, com ênfase em Língua Portuguesa, Literatura Brasileira, Literatura Afro-Brasileira, Literatura Afrodescendente, cidade e modernidade, espaço urbano, espaço na poesia. E-mail: eneiasbrasil@gmail.com

Referências

ARAGÃO, Adriano Lobão de. Poesia e memória em O Tempo Consequente, de H. Dobal. 2013. 85 pp.
Dissertação (Mestrado em Letras) – UESPI, Teresina, 2013.

ARAÚJO, Débora Soares de. H. Dobal: uma poética da memória. 2011. 121 pp. Dissertação (Mestrado em Letras) – UFPA, Curitiba, 2011.

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. 7. ed.
São Paulo: Brasiliense, 1994.

BERGSON, Henri. Matéria e memória: ensaio sobre a relação do corpo com o espírito. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

BURKE, Peter. A Escola dos Annales (1929-1989): a Revolução Francesa da historiografia. 7ª reimpressão. São Paulo: Ed. da UNESP, 1997.

COMBE, Dominique. A referência desdobrada: o sujeito lírico entre a ficção e a autobiografia. In: REVISTA USP. São Paulo. n 84, p. 112-128, dezembro/fevereiro 2009-2010.

DOBAL, H. H. Dobal: obra completa II. Prosa. Teresina: Corisco, 1999.

________. Poesia reunida. 2. ed. Teresina: Oficina da Palavra, 2005.

GIDDENS, Anthony. As consequências da modernidade; tradução de Raul Fiker. São Paulo: Editora UNESP, 1991, 177 pp.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Centauro, 2006.

LIMA, Wanderson. O fazedor de Cidades: Mímesis e poiesis na obra de H. Dobal. Teresina, UFPI, 2005. (Dissertação de Mestrado).

LUKÁCS, Georg. Ensaios sobre literatura. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira S. A., 1965.
Publicado
2022-12-30
Como Citar
BRASIL, Enéias Napoleão Araújo. Memória citadina e ficcionalização na obra de H. Dobal. LETRAS EM REVISTA, [S.l.], v. 13, n. 02, dez. 2022. ISSN 2318-1788. Disponível em: <https://ojs.uespi.br/index.php/ler/article/view/407>. Acesso em: 30 maio 2024.