Palco ancestral de um mundo recôncavo: a cidade literária de cachoeira pelo olhar feminino

Resumo

O ar colonial e barroco marcado nas suas arquiteturas, os mistérios perdidos em passos antigos de gente escravizada. O rio que fez o vale, que ritmiza o dia e acolhe as oferendas a Iemanjá na Pedra da Baleia. Como redescobrir a recôncava cidade de Cachoeira? Outra cidade ou a mesma vista e percebida por uma literatura sensível ao “rés do chão”? É redescoberta, (re)invenção ou inversão? São essas questões que orientam esse texto, por quem, havendo também morado na pequena e histórica cidade, objetiva expor sua (re)invenção pela literatura de Maíra Vale, em Cachoeira & a inversão do mundo. A análise da obra explora os elementos literários e paratextuais, bem como percepções cachoeiranas em cotidianos envoltos em mistérios e orixás, cadinhos de resistência à invisibilidade e à opressão da história contada. O resultado? Cachoeiras outras, tantas quantas as experiências e a imaginação possam inventar.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Graduada em Letras (UCDB), mestre em Estudos de linguagens (UFMS) e doutora em Estudos Literários (UNESP). Docente no Centro de Cultura, Linguagens e Tecnologias Aplicadas, da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB). Membro dos grupos de pesquisa “Tempo Ritual e Espaço Festivo” e “Memória, Espaço e Culturas – MESCLAS” e da equipe interdisciplinar do projeto de pesquisa “Cidades e Festas: As ambivalências do Recôncavo da Bahia".

##submission.authorWithAffiliation##

Geógrafo, mestre e doutor em Geografia Humana pela Universidade de São Paulo. Professor do Centro de Cultura, Linguagens e Tecnologias Aplicadas (CECULT), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB). Membro dos grupos de pesquisa “Tempo Ritual e Espaço Festivo” e “Memória, Espaço e Culturas – MESCLAS” e da equipe interdisciplinar do projeto de pesquisa “Cidades e Festas: As ambivalências do Recôncavo da Bahia”.

Referências

ADÉKÒYÀ, Olúmúyiwá Anthony. Yorùbá: Tradição Oral e História. São Paulo: Terceira Margem, 1999.

ARAÚJO, Nelson. Pequenos mundos: um panorama da cultura popular da Bahia. Salvador: Edufba, 1986. (Tomo 1: Recôncavo)

BÂ, Amadou Hampaté. “A noção de pessoa na África Negra”. Tradução em 2010 de Luiza Silva Porto Ramos e Kelvlin Ferreira Medeiros para uso didático de: HAMPÂTÉ BÂ, Amadou. “La notion de personne en Afrique Noire”. In: DIETERLEN, Germaine. La notion de personne en Afrique Noire. Paris: CNRS, 1981, p. 181 – 192.

BOSI, Alfredo. O ser e o tempo da poesia. São Paulo: Cultrix, 1993.

CALVINO, Ítalo. As Cidades Invisíveis. Tradução de Diogo Mainardi. São Paulo: Biblioteca Folha, 2003.

CASTRO, Armando C. O patrimônio histórico-cultural e o turismo na Cidade Heroica de Cachoeira-BA: potencialidade x realidade. Interações (Campo Grande), Campo Grande, v. 7, n. 11, p. 113-119, set. 2005.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: Artes do fazer. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 1999.

COCCIA, Emanuele. A vida sensível. Tradução de Diego Cervelin. Desterro (Florianópolis): Cultura e Barbárie, 2010.

DALCASTGNÈ, Regina. Um território contestado: literatura brasileira contemporânea e as novas vozes sociais. Iberic@l: revue d'études ibériques et ibéro-américaines, Paris, n. 2, 2012. Disponível em: https://iberical.sorbonne-universite.fr/wp-content/uploads/2012/03/002-02.pdf. Acesso em: 21 maio 2021.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Kafka: por uma literatura menor. Tradução de Cíntia Vieira da Silva. 1. ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2015.

EAGLETON, Terry. Teoria da literatura: uma introdução. Tradução de Waltensir Outra. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

EVARISTO, Conceição. A escrevivência e seus subtextos. In: Escrevivência: a escrita de nós: reflexões sobre a obra de Conceição Evaristo. DUARTE, Constância Lima; NUNES, Isabella Rosado. Ilustrações Goya Lopes. 1. ed. Rio de Janeiro: Mina Comunicação e Arte, 2020.

FERNANDES, Rosali B.; OLIVEIRA, Leila C. S. Evolução econômica do município de Cachoeira (BA): do século XVI ao século XXI. In: SIMPÓSIO CIDADES MÉDIAS E PEQUENAS DA BAHIA, 3., 2012, Feira de Santana. Anais [...]. Feira de Santana: UEFS, 2012. Disponível em: https://www.academia.edu/attachments/36772880/download_file?st=MTU4NTY1ODgxMCwxODcuNDQuMjUzLjIyLDY4MTgyMzEy&s=swp-toolbar. Acesso em: 30 mar. 2021.

GREIMAS, Algirdas Julien. Da Imperfeição. Tradução de Ana Cláudia de Oliveira. São Paulo: Hacker, 2002.

IANNI, Octavio. A metáfora da viagem. In: IANNI, Octavio. Enigmas da modernidade-mundo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

INGOLD, Tim. Caminhando com dragões: em direção ao lado selvagem. In: STEIL, Carlos Alberto;
CARVALHO, Isabel Cristina de Moura (Orgs.). São Paulo: Terceiro Nome, 2012.

JACQUES, Paola Berenstein. Elogio aos errantes. Salvador: EDUFBA, 2012.

KANASHIRO, Milena. A cidade e os sentidos: sentir a cidade. Desenvolvimento e meio ambiente, Curitiba, v. 7, p. 155-160, jan./jun. 2003.

LORDE, Audre. A poesia não é um luxo. Revista Cult, São Paulo, ed. 245, 2 de maio de 2019 (tradução de Stephanie Borges). Disponível em: https://revistacult.uol.com.br/home/audre-lorde-a-poesia-nao-e-um-luxo/. Acesso em: 28 maio 2021.

MBEMBE, Achille. Crítica da razão negra. Tradução de Marta Lança. Lisboa: Antígona, 2017.

MORRISON, Toni. A origem dos outros – Seis ensaios sobre racismo e literatura. Tradução de Fernanda Abreu e prefácio de Ta-Nehisi Coates. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

MUMFORD, Lewis. A cidade na história: suas origens, transformações e perspectivas. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

NASCIMENTO, Jorge Luiz. O surreal urbano de Júlio Cortázar. Revista Contexto-10, Vitória, v. 1, p. 37-50, 2003.

RAMA, Ángel. A cidade das letras. Tradução de Emir Sader. São Paulo: Boitempo, 2015.

ROCHA, Rubens. Cachoeira, Joia do Recôncavo Baiano. Tucano-BA: Gráfica Tibiriçá, 2015.

SANTOS, José Henrique de Freitas. A literatura-terreiro na cena hip hop afrobaiana. A Cor das Letras — UEFS, número temático: Literatura, cultura e memória negra, n. 12, 2011.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: Técnica e Tempo, Razão e Emoção. 4. ed. São Paulo: Edusp, 2006.

SANTOS, Rubenilda S. Cultura política e participação no Recôncavo baiano hoje: uma análise sobre Cachoeira e São Felix. 2009. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, UFBA, Salvador. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ri/11359/1/Dissertacao%20Rubenilda%20Santosseg.pdf. Acesso em: 31 mar. 2020.

VALE, Maíra. Cachoeira & a inversão do mundo. 1. ed. Cachoeira-BA: Andarilha edições, 2019.
Publicado
2022-12-30
Como Citar
RODRIGUES DE MATOS OLIVEIRA MARTINS, Waleska; RICARDO OLIVEIRA MARTINS, Sérgio. Palco ancestral de um mundo recôncavo: a cidade literária de cachoeira pelo olhar feminino. LETRAS EM REVISTA, [S.l.], v. 13, n. 02, dez. 2022. ISSN 2318-1788. Disponível em: <https://ojs.uespi.br/index.php/ler/article/view/412>. Acesso em: 30 maio 2024.