REPRESENTAÇÕES DE PROFESSOR NO PCNEM: VOZES SILENCIADAS E AUTONOMIA LIMITADA

  • Fernanda Ramos Machado Instituto Federal de Santa Catarina

Resumo

Este trabalho tem como objetivo apresentar uma análise crítica do discurso (ACD)
de partes selecionadas dos Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio (PCNEM) a
fim de saber como os professores são representados neste documento. Propõe-se também
contribuir para a pesquisa sobre o uso da ACD para a análise de políticas educacionais uma
vez que, de acordo com Taylor (2004), há poucos trabalhos na literatura sobre o assunto.
Para alcançar os objetivos propostos, eu recorro ao modelo para ACD proposto por
Chouliaraki & Fairclough (1999) para a análise da forma como os professores são
representados no PCNEM. Minha intenção é utilizá-lo como uma ferramenta para me guiar
na tentativa de incluir: a) uma análise dos textos a partir da identificação de características
através das quais discursos podem ser reconhecidos; b) uma análise da natureza
interdiscursiva dos textos e c) uma análise das práticas sociais e culturais. A análise das partes
selecionadas do documento aponta para a posição de subordinação em que professores são
geralmente representados em políticas educacionais.

Referências

ALLAN, S. (1998). News from nowhere: televisual news discourse and the construction of hegemony. In BELL, A.
& GARRET, P. Approaches to Media Discourse. Blackwell Publishers, Oxford.
BALL, S. J. (1993). What is policy? Texts, trajectories and toolboxes, discourse. The Australian Journal of
Educational Studies, vol. 13, no. 2, pp. 10-7.
BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares
Nacionais (Ensino Médio). Brasília: MEC, 2000.
BRASIL. Senado Federal. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional: nº 9394/96. Brasília: 1996.
BRASIL. Ministério da Educação. Plano Nacional de Educação. Brasília, DF: INEP, 2001
BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Parecer n. 15, de 1 de junho de 1998. Diretrizes Curriculares
Nacionais para o Ensino Médio. Brasília, DF, 1998b.
BRASIL. Lei nº 4.024, de 20 de dezembro de 1961. Fixa as diretrizes e bases da educação nacional. Lei de
Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, DF, 1961.
CHOULIARAKI, L.; N. FAIRCLOUGH. Discourse in Late Modernity: Rethinking Critical Discourse
Analysis. Edinburgh: Edinburgh University Press, 1999.
FAIRCLOUGH, N. The Discourse of New Labour: Critical Discourse Analysis. In: WETHERELL, M; TAYLOR,
S; YATES, S. J. Discourse as Data. London: Sage Publications, 2001.
FAIRCLOUGH, N. Analysing Discourse and Text: Textual Analysis for Social Research. London: Routledge,
2003.
FAIRCLOUGH, N. Critical discourse analysis and the marketisation of public discourse: the universities. Discourse
and Society, v.4, n2, p.133-68, 1993.
FALK, I. The making of policy: media discourse conversations. Discourse: studies in the cultural politics of
education, v.15, n.2, p. 1-12, 1994.
LUKE, A. Critical discourse analysis. In: SAHA, L. International Encyclopaedia of the Sociology of Education.
Oxford: Elsevier, p. 50-57, 1997a.
RAMALHO, V.; RESENDE, V.M. Análise de Discurso (para a) Crítica: O Texto como Material de Pesquisa.
Campinas: Pontes, 2011.
SILVEIRA, M. C. O neoliberalismo e a educação no Brasil de FHC. Revista Senso Comum, nº 1, p. 50-66, 2009.
SCHRAM, S. F. (1993). Postmodern policy analysis: discourse and identity in welfare policy. Policy Sciences,
vol. 26, pp. 249-70.
TAYLOR, S. Critical policy analysis: exploring contexts, texts and consequences. Discourse: studies in the cultural
politics of education, v.18, n.1, p. 23-35, 1999.
TAYLOR, S.C. Researching educational policy and change in 'new times': using critical discourse analysis. Journal of
Education Policy, v. 19, n. 4, p. 433-451, 2004.
THOMAS, S. Contesting education policy in the public sphere: media debates over policies for the Queensland
school curriculum. Journal of Education Policy, v.17, n. 2, p. 187-192, 2002.
THOMAS, S. ‘The trouble with our schools’: a media construction of public discourses on Queensland schools.
Discourse: studies in the cultural politics of education, v.24, n.1, p. 19-33, 2003.
THOMAS, S. Taking teachers out of the equation: constructions of teachers in recent education policy documents.
Australian Education Researcher, v.32, p. 45-61, 2005b.
THOMAS, S. The Construction of Teacher Identities in Educational Policy Documents: a Critical Discourse
Analysis. Melbourne Studies in Education, v. 46, n. 2, p. 25-44, 2005a.
Publicado
2018-02-22
Como Citar
RAMOS MACHADO, Fernanda. REPRESENTAÇÕES DE PROFESSOR NO PCNEM: VOZES SILENCIADAS E AUTONOMIA LIMITADA. LETRAS EM REVISTA, [S.l.], v. 8, n. 01, fev. 2018. ISSN 1980-7732. Disponível em: <https://ojs.uespi.br/index.php/ler/article/view/42>. Acesso em: 14 dez. 2018.