O FENÔMENO DA PAUSA NA CORRELAÇÃO FALA-ESCRITA

  • Maria Cecília Mollica Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Hadinei Batista Universidade Estadual de Minas Gerais
  • Daillane dos Santos Avelar IFES

Resumo

O artigo tem como foco refletir sobre o contínuo fala-escrita em relação a aspectos prosódicos e sinais gráficos da pontuação em fronteiras de constituintes sintáticos. Metodologicamente, a pesquisa é de caráter quantitativo e variacionista, tomando como varável dependente a ausência versus presença de pausa nas modalidades oral e escrita no intervalo V/SN2. Os corpora da pesquisa são de conversas espontâneas do C-oral Brasil e de produção textuais da amostra Sabere, ambos com dados de informantes com 18 anos incompletos. Os dados revelam convergência de parâmetros melódicos e rítmicos no contínuo fala-escrita, assinalando a importância em considerar aspectos prosódicos no ensino dos sinais gráficos da pontuação na educação básica.

Referências

ABREU, A. S. Gramática mínima: para o domínio da língua padrão. Cotia: Ateliê Editorial. 2003.
BARBOSA, Plínio A. Prosódia. São Paulo: Parábola Editorial, 2019.
BECHARA, Evanildo. Moderna Gramática Portuguesa. Rio de Janeiro: Lucerna, 2004.
BERNARDES, Ana Cristina de Aguiar. Pontuando alguns intervalos da pontuação. Campinas, SP: [s.n.],
2002.
BORTONI-RICARDO, Stella Maris. Educação em língua materna: a sociolinguística na sala de aula. São Paulo: Parábola Editorial, 2004.
BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Educação é a Base. Brasília, MEC/CONSED/UNDIME, 2017.
CHAFE, Wallace L. Language and consciousness. Language, 1974.
_______. The deployment of consciousness in the production of a narrative. In: CHAFE, W. L. (Ed.). The pear stories: cognitive, cultural, and linguistic aspects of narrative production. Norwood: Ablex, 1980.
_______. Linguistic differences produced by differences between speaking and writing. In: OLSON, D.; TORRANCE, N.; HILDYARD, A. (Ed.). Literacy, language and learning: the nature and consequences of reading and writing. Cambridge: Cambridge University Press, 1985, p. 105-123.
_______. What good is punctuation? Berkeley, CA: University of California; Pittsburgh, PA: Carnegie Mellon University, 1987. 6 p.
_______. The deployment of consciousness in the production of a narrative. In: CHAFE, W. L. (Ed.). The pear stories: cognitive, cultural, and linguistic aspects of narrative production. Norwood: Ablex, 1980.
DECAT, M. B. Estruturas Desgarradas em Língua Portuguesa. Campinas, SP: Pontes Editores, 2011.
_______. Orações relativas apositivas ‘desgarradas’ no português em uso. In: BISPO, Edvaldo Balduino; OLIVEIRA, Mariangela Rios de (orgs). Orações relativas no português brasileiro: diferentes perspectivas. Niterói: Editora da UFF, 2014. p.157-189.
MARCUSCHI, Luíz Antônio. (2001) Da fala para a escrita: atividades de retextualização. 2. ed. São Paulo: Cortez. 133p.
_______. Fenômenos intrínsecos da oralidade: a hesitação. In: JUBRAN, C.C.A.S. (Org.) Gramática do português falado - construção do texto falado. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2019: 49-68.
LABOV, W. 1969. Contraction, deletion and inherent variability of the English copula. Language, 45: 715-62.
MOLLICA, M. C. Alguns fatores da pausa entre sujeito e verbo. Boletim da ABRALIM, nº 6, SP, 1984a.
_______. Seleta de escritos sobre pausa. São Paulo: Editora Pontes, 2021.
MOLLICA, Maria Cecília; QUENTAL, Violeta. A vírgula como reflexo da pausa e da entonação entre sujeito e verbo. Comunicação – IV Encontro Nacional de Linguística da PUC/RJ, 1984b.
O’CONNELL, D. C. & KOWAL, S.: Pausology. In W. A. Sedelow& S. Y. Sedelow. Computers in Language Research 2. Mouton Publishers, Berlin, New York, Amsterdam (1983) 221-301.
SANKOFF, David; TAGLIAMONTE, Sali; SMITH, E. Goldvarb X - A multivariateanalysis application. Toronto: Department of Linguistics; Ottawa: Department of Mathematics, 2005.
Publicado
2022-04-07
Como Citar
MOLLICA, Maria Cecília; BATISTA, Hadinei; AVELAR, Daillane dos Santos. O FENÔMENO DA PAUSA NA CORRELAÇÃO FALA-ESCRITA. LETRAS EM REVISTA, [S.l.], v. 12, n. 01, abr. 2022. ISSN 2318-1788. Disponível em: <https://ojs.uespi.br/index.php/ler/article/view/460>. Acesso em: 09 ago. 2022.