GÊNERO DISCURSIVO MULTIMODAL CHARGE: UMA (RE)LEITURA AMPARADA NAS RELAÇÕES INTERTEXTUAIS DOS NOVOS LEITORES

  • Ernani Cesar de Freitas Universidade de Passo Fundo
  • Viviane Demetrio da Silva Scariot Universidade de Passo Fundo

Resumo

Este artigo apresenta a análise realizada em uma charge, a qual faz parte das inúmeras postagens referentes à rivalidade que existe no RS entre os torcedores da dupla grenal: Grêmio x Internacional. O objetivo geral visou estabelecer uma relação entre o texto verbalizado com o imagético e o poder de construção de sentido que se projeta com os diferentes tipos de leitores. A análise tem como suporte teórico as contribuições de Bakhtin (2016), com os conceitos de gênero
discursivo; Kress (2000), com a multimodalidade; Grupo de Nova Londres (2000) e Rojo (2012), com os multiletramentos; Bazerman (2007), com a intertextualidade e Santaella (2004; 2013), quanto aos leitores contemplativo, movente, imersivo e, principalmente, o ubíquo. A pesquisa realizou-se de forma descritiva e bibliográfica, uma vez que partindo do aparato teórico escolhido foi sendo tecida a análise. Através desse artigo, foi possível evidenciar que as novas maneiras de ler e compreender os diferentes gêneros é desencadeada por elementos anteriores que dão sentido ao discurso através da ubiquidade.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Doutor em Letras pela PUCRS, com pós-doutorado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem (PUC SP/LAEL); Professor do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade de Passo Fundo (UPF).   E-mail:

##submission.authorWithAffiliation##

Doutoranda em Letras – UPF. Mestra em Letras – UPF/2013. Professora da Escola de Ensino Fundamental
Geração Saber e professora ensino fundamental - anos finais da Prefeitura Municipal de Sananduva – RS.
Atua também como professora particular e revisora de textos. E-mail: vividds@yahoo.com.br

Referências

BAKHTIN, Mikhail. Os gêneros do discurso. In:______. Os gêneros do discurso. Organização, tradução, posfácio e notas Paulo Bezerra. 1. ed. São Paulo: Editora 34 Ltda., 2016. p. 11-69.
BAZERMAN, Charles. Intertextualidades: Volosinov, Bakhtin, Teoria Literária e Estudos do Letramento. In:______Escrita, gênero e interação social. HOFFNAGEL, Judith; DIONISIO, Angela P. (Orgs.). São Paulo: Cortez, 2007. p.92-109.
XXXXXX. XXXXXXXX. Desenredo, Passo Fundo, RS, v. 6, nº 21, p. 137-263, jul./dez. 2010.
KRESS, Gunther. Multimodality. In: COPE, Bill; KALANTZIS, Mary. Multiliteracies: literacy learning and the design of social futures. London: Routledge, 2000. p. 182-202.
ROJO, Roxane. Pedagogia dos multiletramentos: diversidade cultural e de linguagens na escola. In:ROJO, Roxane; MOURA, Eduardo (Orgs.). Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola Editorial,
2012. p. 11-31.
SANTAELLA, Lucia. Três tipos de leitores: o contemplativo, o movente e o imersivo. In: ______Navegar no ciberespaço: o perfil cognitivo do leitor imersivo. São Paulo: Paulus, 2004. p. 15-35.
______. O leitor ubíquo. In:______Comunicação ubíqua: repercussões na cultura e na educação. São Paulo: Paulus, 2013. p. 265-283.
THE NEW LONDON GROUP. A pedagogy of Multiliteracies: designing social futures. In: COPE, Bill; KALANTZIS, Mary. MultiliTERACIES: Literacy learning and the design of social futures. London: Routledge, 2000. p. 9-37.
Publicado
2019-10-25
Como Citar
DE FREITAS, Ernani Cesar; SCARIOT, Viviane Demetrio da Silva. GÊNERO DISCURSIVO MULTIMODAL CHARGE: UMA (RE)LEITURA AMPARADA NAS RELAÇÕES INTERTEXTUAIS DOS NOVOS LEITORES. LETRAS EM REVISTA, [S.l.], v. 10, n. 01, out. 2019. ISSN 2318-1788. Disponível em: <https://ojs.uespi.br/index.php/ler/article/view/253>. Acesso em: 11 dez. 2019.