PROCURAM-SE DICIONÁRIOS ESCOLARES: UMA INVESTIGAÇÃO SOBRE A PRESENÇA DE DICIONÁRIOS ESCOLARES NO MUNICÍPIO DE CODÓ, MARANHÃO

  • Luís Henrique Serra Universidade Federal do Maranhão
  • Maria Ednalva Lima e Silva Universidade Federal do Maranhão
  • Raimunda Nonata dos Santos Ferreira Universidade Federal do Maranhão

Resumo

Este texto visa apresentar uma pesquisa sobre o uso do dicionário nas escolas do município de Codó-MA. Parte do pressuposto que o dicionário é uma ferramenta didático útil para, entre outras coisas, o desenvolvimento da leitura e da escrita. O trabalho resulta de pesquisas realizadas no âmbito do
grupo GIELP-grupo de investigação do ensino de língua portuguesa, grupo que reúne alunos e professores pesquisadores da área do ensino de língua portuguesa do curso de Pedagogia da Universidade Federal do Maranhão, campus VII, Codó-MA. A pesquisa insere-se no campo da Lexicografia Pedagógica, consultando trabalhos e pesquisas elaborados nessa área, dentro os quais são citados os trabalhos de Brangel (2013), Krieger (2007, 2004), Brasil (2012) dentre outros que abordam a importância do uso dos dicionários na sala de aula. A pesquisa, feita em 2017, consiste na busca da presença dos dicionários salas de aula de 7escolas do município de Codó-MA, município que apresenta baixíssimo índices de leitura e de escrita, de acordo com dados do IDEB. Os resultados mostram que ainda é possível observar alguns dicionários que foram enviados pelo MEC, mas esses dicionários não têm sido usado para o desenvolvimento da leitura e da escrita dos alunos das escolas investigadas. Conlui-se que essa situação é um problema para a implementação da cultura da consulta a dicionário por parte dos alunos e professores, conforme objetiva o programa de distribuição de dicionários feito pelo MEC.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Professor da Universidade Federal do Maranhão, campus VII, Codó. Licenciado, Mestre e Doutorando em Letras pela Universidade de São Paulo. Coordena o projeto Dicionário na sala de aula como ferramente de leitura e de escrita, do Grupo de Investigações em Ensino de Língua Portguguesa(GIELP/UFMA/CNPq). O projeto é Financiado pela Fundação de Amparo ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão – FAPEMA. luis.ufma@gmail.com

##submission.authorWithAffiliation##

Licencianda em Pedagogia pela Universidade Federal do Maranhão. Integrante do Grupo de Investigações do
Ensino de Língua Portuguesa – GIELP/UFMA/CNPq. É bolsista de Iniciação Cientifica da UFMA/Foco
Acadêmico. E-mail: ednalva100@hotmail.com

##submission.authorWithAffiliation##

Licencianda em Pedagogia pela Universidade Federal do Maranhão. Integrante do Grupo de Investigações do
Ensino de Língua Portuguesa – GIELP/UFMA/CNPq. É bolsista da Fundação de Amparo ao desenvolvimento
Científico e Tecnológico do Maranhão – FAPEMA. Email: raymundaa.ferreira@gmail.com

Referências

BRANGEL, Larissa Moreira. Dicionários escolares e ensino de língua portuguesa. Interdisciplinar, v.19, nº 02, p. 1-16, 2013.
BRASIL.Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Com direito à palavra: dicionários em sala de aula. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2012.
BRASIL.. Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília: Secretaria de Educação Básica, 1998.
DURANS, Magali Sanches; XATARA, Claudia Maria. Lexicografia Pedagógica: atores e interfaces. D.E.L.T.A. n 23, v.2, p 203-222, 2007.
ILARI, Rodolfo; CUNHA LIMA, Maria Luiza. Algumas ideias avulsas sobre a aquisição do léxico. In. Carvalho, Orlene Lúcia de Sabóia; Bagno, Marcos (orgs). Dicionários escolares: políticas, formas e usos. São Paulo: Parábola, 2011, p. 13-36
HÖFLING, Camila; SILVA, Maria Cristina Parreira; TOSQUI, Patrícia. O dicionário como material didático na aula de língua estrangeira. Intercâmbio, v. 13, p. 1-7, 2004.
KRIEGER, Maria da Graça. Dicionário na sala de aula. Rio de Janeiro: Lexicon, 2012.
______. O dicionário de língua como potencial instrumento didático. In. Isquerdo, Aparecida Negri; Alves, Ieda Maria (org.). As ciências do léxico: lexicologia, lexicografia, Terminologia. Campo Grande/São Paulo: Edufms/Edusp, 2007, p. 295-309.
LEFTA, Vilson J. (org.). As palavras e sua companhia: o léxico na aprendizagem das línguas. Pelotas: EDUCAT, 2000.
MALDONADO, Concepción. El uso del diccionario en el aula. 2ª ed. Madrid, 2008.
PONTES, A, L. Dicionário para uso escolar: o que é, como se lê. Fortaleza: EdUECE, 2009.
TEIXEIRA, Maria Cláudia. A designação de “Lexicografia Pedagógica”. Revista Interfaces. Pelotas, V. 6, n. 3, p. 29-35, 2015.
RANGEL, Egon de Oliveira. Dicionários escolares e políticas públicas em educação: a relevância da proposta lexicográfica. In. COLÓQUIO INTERNACIONAL DE LEXICOGRAFIA PEDAGÓGICA. 1. 2008. Santa Catarina. Anais... Santa Catarina: edUFSC, p.94-114,2008
WELKER, Herbert Andreas. A Lexicografia Pedagógica: definições, história, peculiaridades. In: COLÓQUIO INTERNACIONAL DE LEXICOGRAFIA PEDAGÓGICA. 1. 2008. Santa Catarina. Anais... Santa Catarina: edUFSC, p.9-45,2008.
Publicado
2019-10-25
Como Citar
SERRA, Luís Henrique; LIMA E SILVA, Maria Ednalva; FERREIRA, Raimunda Nonata dos Santos. PROCURAM-SE DICIONÁRIOS ESCOLARES: UMA INVESTIGAÇÃO SOBRE A PRESENÇA DE DICIONÁRIOS ESCOLARES NO MUNICÍPIO DE CODÓ, MARANHÃO. LETRAS EM REVISTA, [S.l.], v. 10, n. 01, out. 2019. ISSN 2318-1788. Disponível em: <https://ojs.uespi.br/index.php/ler/article/view/255>. Acesso em: 11 dez. 2019.