SEQUENCIAÇÃO: ATIVIDADES ESCRITAS DE COESÃO PARA COMPOR UMA SEQUÊNCIA DIDÁTICA DE ARTIGO DE OPINIÃO

  • Viviane Pinho da Silva UNITAU

Resumo

O objetivo deste artigo é o de apresentar atividades de sequenciação textual para compor uma Sequência Didática para o ensino do gênero textual artigo de opinião para alunos do 3º ano do Ensino Médio. Tomando o Interacionismo Sociodiscursivo como fonte de referência, a pesquisa e discussão envolvidas neste estudo associam os pressupostos teórico-metodológicos desta corrente aos aportes da Linguística Textual. O foco de estudo é a sequenciação textual como recurso coesivo importante para a manutenção temática em um texto. Os resultados apontam para a importância de se desenvolver capacidades linguístico-discursivas através de atividades escritas de coesão.

Referências

BARBOSA, J.P. Sequência didática artigo de opinião. São Paulo: Secretaria do Estado de Educação de São Paulo, 2006. Circulação restrita.
BRONCKART, J-P. Atividade de linguagem, textos e discursos: por um interacionismo sociodiscursivo. Tradução Anna Rachel Machado e Péricles Cunha. 2. ed. São Paulo: EDUC, 2012
CITELLI, A. O texto argumentativo. São Paulo: Scipione, 1994
CRISTOVÃO, V. L. L; NASCIMENTO, E. L. Gêneros textuais e ensino: contribuições do interacionismo sócio-discursivo. In: KARWOSKI, Acir Mário et al. (Orgs). Gêneros textuais: reflexões e ensino. Rio de Janeiro, Lucerna, 2006.
DOLZ, J.; SCHNEUWLY, B. Gêneros e progressão em expressão oral e escrita – elementos para reflexões sobre uma experiência suíça (francófona). In: SCHNEUWLY, Bernard; DOLZ, Joaquim (Org.). Gêneros orais e escritos na escola. Campinas: Mercado das Letras, 2005, p. 41-70.
KOCH, I. V. A coesão textual. São Paulo: Contexto, 22ª ed., 2010.
KOCH, I. V. O texto e a construção dos sentidos. São Paulo, Ed. Contexto, 6ª ed., 2003.
KOCH, I. G. V.; ELIAS, V. M. Ler e escrever: estratégias de produção textual. São Paulo: Contexto, 2009. p. 131-134.
LOPES-ROSSI, Maria Aparecida Garcia. Gêneros discursivos no ensino de leitura e produção de textos. In: KARWOSKI, A. M.; GAYDECZKA, B.; BRITO, K. S. (Org.). Gêneros textuais: reflexões e ensino. Palmas-PR: Kaygangue, 2005. p. 79-93.
MACHADO, Anna Rachel. A perspectiva interacionista sociodiscursiva de Bronckart. In: MEURER, J. L.; BONINI, Adair; MOTTA-ROTH, Désirée. (Orgs.). Gêneros: teorias, métodos, debates. São Paulo: Parábola Editorial, 2005. p. 237-259.
MACHADO, Anna Rachel; CRISTÓVÃO, Vera Lúcia Lopes. A Construção de Modelos Didáticos de Gêneros: aportes e questionamentos para o ensino de gêneros. Revista Linguagem em (Dis)curso – LemD – Tubarão, v.6, n.3, p. 547- 573, set/dez. 2006.
MARCUSCHI, L. A. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola, 2008.
MUSSALIN, F.; BENTES, A. C. Introdução à Linguística. São Paulo: Cortez Editora, 2001
PERRENOUD, P. A prática reflexiva no ofício de professor: profissionalização e razão pedagógica. Trad. Cláudia Schilling. Porto Alegre: Artmed Editora, 2002.
ROJO, R. A teoria dos gêneros em Bakthin: construindo uma perspectiva enunciativa para o ensino de compreensão e produção de textos na escola. In: BRAIT, B. (Org.) Estudos enunciativos no Brasil: história e perspectivas. São Paulo: EDUSP, 2004.
Publicado
2019-10-25
Como Citar
DA SILVA, Viviane Pinho. SEQUENCIAÇÃO: ATIVIDADES ESCRITAS DE COESÃO PARA COMPOR UMA SEQUÊNCIA DIDÁTICA DE ARTIGO DE OPINIÃO. LETRAS EM REVISTA, [S.l.], v. 10, n. 01, out. 2019. ISSN 2318-1788. Disponível em: <https://ojs.uespi.br/index.php/ler/article/view/59>. Acesso em: 11 dez. 2019.